12/10/2018

Opinião | "Cartas de Profecia" de Anne Bishop

Título: Cartas de Profecia
Autor: Anne Bishop
ISBN: 9789897730863
Edição ou reimpressão: 11-2017
Editor: Saída de Emergência
Idioma: Português
Dimensões: 158 x 228 x 27 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 432

Sinopse: Anne Bishop regressa ao mundo de Os Outros, enquanto os humanos lutam para sobreviver na sombra de criaturas poderosas.
Depois de uma insurreição humana ter sido brutalmente abortada pelos Anciãos – uma forma primitiva e letal de Os Outros –, as poucas cidades que os humanos controlam estão dispersas. Os seus habitantes conhecem apenas o medo e a escuridão da terra de ninguém.
À medida que algumas dessas comunidades lutam para se reconstruir, Simon Wolfgard, o líder lobo metamorfo, e Meg Corbyn, a profetisa de sangue, trabalham com os humanos para manter a frágil paz. Mas todos os seus esforços são ameaçados quando uma misteriosa figura humana aparece.
Com os humanos desconfiados em relação a um dos seus, a tensão aumenta, atraindo a atenção dos Anciãos, curiosos sobre o efeito que este predador terá na matilha. Mas Meg já conhece o perigo, pois viu nas cartas de profecia como tudo terminará: com ela ao lado de uma campa.

OPINIÃO:
Quando comecei a ler esta série eu não sabia o quanto iria gostar desta história. Eu nunca tinha lido nada de Anne Bishop e ao ler estes livros eu fiquei completamente encantada, as personagens são maravilhosas, mas o que mais marcou-me ao longo desta fantástica história foi o mundo que a autoria criou e o significado de "Os Outros". Nas minhas opiniões aos livros anteriores eu já tinha indicado isto, mas tenho que voltar a falar, porque sim, é o que mais choca e que deveria sim ser discutido é que o ser humano não se preocupa com o planeta terra. Pode sim haver algumas preocupações ambientais, podemos ter atenção a uma ou outra situação, mas a verdade é que não existe ninguém que diga "ou fazem fazem as coisas como deve ser, ou nada feito". Nesta série a natureza tem a sua própria voz, é a própria natureza que manda nos humanos e que decide o que vai ser feito no planeta e isso é maravilhoso de se ler.

Neste livro temos como "principal vilão" o Cyrus, irmão e filho de pessoas que já habitam Lakeside e que dão-lhe teto e comida quando mais precisou. Mas tal como a maioria dos humanos, este achou que seria fácil enganar "os outros" e ao longo desta história vamos acompanhando todas as artimanhas feitas por ele. Este é o último livro da história Meg e Simon e conhecemos o final deste "casal" tão diferente, mas tão fofo ao mesmo tempo. É uma história que acompanho à imensos livros e foi com uma grande emoção (umas lágrimas até) que terminei este livro.

O que mais agradou-me neste livro foi sem dúvida o mundo que a autora criou, eu não me canso de repetir isto, até já falei para imensos amigos lerem esta série. A crítica social é tão forte que desde o primeiro livro eu fiquei completamente fascinada com o que a autora transmitiu. A verdade é que nós humanos (e sim eu digo nós, porque eu infelizmente também não faço nada para alterar isso, muito pelo contrário) pensamos que o planeta terra é nosso e só pensamos em construir e ter mais e mais. Com isto esquecemos-nos muitas vezes da natureza e a verdade é que esta série é a prova real do que o Homem não é o ser mais forte, afinal de contas bastante um sismo para morrerem milhares e milhares de pessoas.


Outra crítica social é que o Homem quer sempre "mais e mais", mesmo quando sabe que não é o mais forte, queremos sempre ir até onde não se consegue para descobrir "novos lugares", queremos sempre ter aquilo que não temos. Nesta história é a prova viva que os humanos sabem que basta "os outros" não gostarem que matam a todos, mas mesmo assim são estúpidos de tentarem serem mais espertos ou mais "qual quer coisa" para alcançarem o que desejam. Anne Bishop sabia o que estava a fazer e conseguiu fazê-lo da melhor forma e isso está completamente de parabéns.

As personagens fantásticas e a forma como vivem e interagem entre eles é fabuloso, sem dúvida que a autora pensou em cada pequeno detalhe e isso fez com que ficasse algo tão poderoso e cativante, que uma simples cena da Meg a andar pelo Pátio era recheado de surpresas. Mais precisamente neste livro que estas criaturas têm um pouco mais de convivência com os humanos, é ainda maior esta diferença e é tão divertido ver estas iterações e ambas as "espécies" a tentarem entenderem-se uns aos outros que foi algo que completou ainda mais esta história. Anne Bishop criou diferentes criaturas que entre elas têm as suas características, mas que se regem pelas mesmas "regras", o que nota-se aqui a grande diferença dos humanos.

Basicamente os pontos principais da história é a "luta" entre humanos e "os outros" e a tentativa de um grupo de pessoas de tentarem sobreporem-se a estas criaturas poderosas. Com isto, a parte de romance foi posta um pouco de lado e posso dizer que sendo este o último sobre o casal "Meg e Simon" eu esperava um pouco mais, mas a verdade é que o foco não é este e chegamos ao final e compreendemos, mas acredito que quem gosta de um bom romance vai ficar um pouco desiludido. Mas afinal de contas esta série é fantasia urbana e não romance fantástico, por isso é completamente normal.

Esta é uma série que sem dúvida que recomendo, verdade seja dita que estou farta de falar nela aos meus amigos, mas caros leitores, se leram esta opinião vão a correr pegar no primeiro volume. É uma série marcante, com uma escrita envolvente e personagens super bem desenvolvidas que precisam de ler. Fora a mensagem/crítica que é algo que vai direto ao ponto principal e que deixa o leitor a pensar e a refletir durante meses (ou no meu caso anos, que foi desde que iniciei esta série em 2015).

Opinião dos livros anteriores:

Leitura com o apoio:

Sem comentários:

Publicar um comentário

Aqui podem deixar todos os comentários e prometo que responderei o mais rápido possível.

Comentários que não são construtivos não serão aceites.