04/12/2018

Opinião | "A Jaula do Rei" de Victoria Victoria Aveyard

Título: A Jaula do Rei
Autor: Victoria Aveyard
ISBN: 9789897731280
Edição ou reimpressão: 10-2018
Editor: Saída de Emergência
Idioma: Português
Dimensões: 157 x 228 x 26 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 432

Sinopse: Quando a faísca da rapariga-relâmpago se apaga, quem ilumina o caminho para a rebelião?
Mare Barrow foi capturada e está impotente sem o seu poder, vivendo atormentada pelos erros do passado. Ela está à mercê do rapaz por quem um dia se apaixonou, um jovem dissimulado que a enganou e traiu. Agora rei, Maven continua com os planos da sua mãe, fazendo de tudo para manter o controlo de Norta — e de sua prisioneira.
Enquanto Mare tenta aguentar o peso sufocante da Pedra Silenciosa, a Guarda Escarlate organiza-se, deixando de agir nas sombras e preparando-se para a guerra. Entre os guerreiros está Cal, o príncipe exilado, que no meio das dúvidas tem apenas uma certeza: ele não vai descansar enquanto não trouxer Mare de volta.
Sangue vermelho e prateado correrá pelas ruas. A guerra está a chegar…

OPINIÃO:
Quando comecei esta série eu gostei, mas era mais uma do género que eu achava interessante o mundo que a autora desenvolveu e queria saber mais, mas nunca fiquei com aquela sensação de que estava a adorar e que precisava urgentemente da continuação. Mas este terceiro livro mudou completamente a minha opinião sobre esta série, a verdade é que fiquei completamente presa a esta trama e não conseguia parar de ler. Quando cheguei ao final, o meu coração fica completamente destroçado e preciso do próximo volume urgentemente, eu preciso de saber como a autora vai desenvolver todos os pontos que faltam e principalmente preciso de saber como é que vai acabar.

Rainha Vermelha e Espada de Vidro foram livros bons, mas que em algumas partes eu percebia que era forçado e em outras eu nem conseguia entender muito bem o porquê da autora ter feito aquilo. Já A Jaula do Rei é uma versão bem diferente que prendeu-me desde o início. Eu vou ser sincera, não estava à espera de muito deste livro, apenas queria saber o que ia acontecer depois do final do livro anterior e foi uma gigantesca surpresa. Basicamente neste terceiro volume temos duas partes bastante definidas, a primeira é toda a "prisão" da Mare, é sim bastante violento e algumas cenas são chocantes, mas aqui vemos perfeitamente a obsessão do Maven por ela e o quanto ele fica indeciso entre a sua obsessão e o dever como Rei. Esta primeira parte é sim interessante, mas ao mesmo tempo angustiante, eu estive o tempo todo a querer que aquilo acabasse de uma vez e não sei como a autora conseguiu, mas nota-se uma enorme melhoria na sua escrita ao ponto de em algumas cenas eu sentir uma falta de liberdade que era aterradora.

A segunda parte já não achei tão poderosa, a verdade é que a parte final até foi bastante corrida e espera algo mais demorado para algo tão grande, mas tenho que admitir que foi a minha parte favorita do livro por causa do romance. Não vou dizer muito para quem não leu não apanhar spoilers e ser surpreendido tal como eu fui, mas foi lindo e completamente apaixonante (exceto o final que partiu o meu coração em pedacinhos bem pequenos). Comparado aos dois livros anteriores, a minha opinião é que este é sim bastante superior, e neste terceiro livro, Victoria Aveyard conquistou-me e convenceu-me que é sim uma série fabulosa. Tal como disse a uma amiga minha, se não lerem esta série, ou se apenas leram o primeiro, peguem porque este terceiro vale realmente a pena e fora ser uma excelente continuação, mais do que isso é um excelente livro.

Relativamente às personagens tenho que dizer que a Mare nunca foi uma personagem que eu gostasse, mas neste livro ela tem um enorme desenvolvimento que fez com que eu apreciasse e na maioria dos casos sentisse carinho por ela. Esta personagem passa por tanto, mas mesmo assim tem uma força espetacular que faz com que ela lute ainda mais. Já o Maven foi algo contraditório. Aqui a autora desenvolveu um passado que eu não estava nada à espera e não sei se era para desculpar as atitudes dele, mas mesmo eu ter ficado chocada com o que lhe aconteceu, não deixa de ser ele a querer mudar e para isso bastava ele querer. A obsessão do Maven pela Mare é algo que está bastante marcante neste livro e foi interessante ver como ele próprio ficava confuso entre o dever e a sua própria obsessão. Realmente o Maven é uma personagem bastante complicada de se compreender, percebemos o porquê neste livro o porquê de algumas atitudes dele, mas mesmo assim eu acho que não é desculpa para todas as atitudes que ele tem.

Depois temos o Cal, ele é maravilhoso, romântico, bastante intenso e super querido, com uma paixão arrebatadora pela Mare que faz de tudo por ela. Mas não deixa de ser o príncipe e o trono é dele, com isso muitos querem ele de volta ao trono e com isto ele fica na dúvida entre o amor e o dever. Eu gostei da evolução deste personagem, ele mostrou ser uma personagem forte e determinada, mas claro que existe algumas ações que têm que ser tomadas e mesmo que seja difícil para ele, o que está em causa é muito maior. Este é um personagem que eu adoro e mesmo eu tenha chorado horrores com atitudes dele, continua a ser uma personagem que espero bastante no próximo livro.

Eu tenho que falar de uma outra personagem que surpreendeu-me imenso e também foi uma das razões de ter gostado tanto deste livro. A Evangeline é uma personagem que eu tinha puro ódio, mas aqui a autora mostrou quem ela realmente é e os seus objetivos. Claro que ela tem ações que não são as melhores, ela continua sim a ser bastante má, mas vemos uma outra perspetiva da mesma e até a ter algumas ações que vão surpreender o leitor. A verdade é que ela cresceu para ser rainha e tudo o que ela faz foi organizado e planeado para tal. Não estava nada à espera de ter gostado tanto dos capítulos contados por ela, mas conhecemos uma pessoa completamente diferente, não é que eu tenha gostado dela, pois um dos seus planos de querer ser rainha mas ter a pessoa que ama ao seu lado foi bastante louco e que eu não aprovo. A vida desta personagem não foi fácil e só prova o quanto a política é cheia de segredos e manipulações para conseguirem poder. É um lado diferente que torna esta personagem ainda mais interessante e que estou louca para saber o que ela vai fazer no próximo livro, afinal houve algo que interrompeu os seus planos e acredito que ela é a chave que irá mudar completamente o rumo da história.

A Jaula do Rei é um maravilhoso livro que foi uma enorme surpresa. Victoria Aveyard conseguiu o que eu não estava nada à espera: eu ficar completamente apaixonada por esta história e por estes personagens. Fora ser bem visível a evolução da escrita da autora, a forma como foi pensado está bastante envolvente e que cativa a ler mais, tornando-se assim numa leitura rápida e bastante emocionante. A forma como a autora colocou o drama político, a guerra, mas também o romance, foi fabuloso, tornando assim numa fantasia bastante elaborada que faz pensar e que, no meu caso, colocou as minhas emoções ao rubro, ora estava irritada, depois estava a chorar de felicidade, como depois estava a chorar de tristeza e no fim fiquei com o meu coração completamente destroçado. Eu preciso do próximo livro urgentemente para saber como tudo vai ficar, já prevejo muitas lágrimas, mas preciso de saber o que vai acontecer.

Opinião dos livros anteriores:

Leitura com o apoio:

19/11/2018

Opinião | "Filhos de Sangue e Osso" de Tomi Adeyemi

Título: Filhos de Sangue e Osso
Autor: Tomi Adeyemi
ISBN: 9789897771231
Edição ou reimpressão: 10-2018
Editor: Editorial Planeta
Idioma: Português
Dimensões: 153 x 233 x 29 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 480

Sinopse: Um romance épico com um mundo de fantasia rico em evocações históricas, magia, lutas de poder e amor.
Uma aventura magnética baseada na cultura africana.
«Eles mataram a minha mãe.
Levaram a nossa magia.
Tentaram enterrar-nos.
E, agora, nós levantamo-nos.»
Zélie Adebola lembra-se do tempo em que a magia fazia vibrar o solo de Orixá. Os Incineradores ateavam as chamas, os Senhores das Marés chamavam as ondas e a mãe Ceifeira de Zélie invocava um exército de almas.
Mas tudo mudou na noite em que a magia desapareceu. Sob as ordens de um rei implacável, os Maji foram perseguidos e assassinados, deixando Zélie órfã de mãe e o seu povo desprovido de esperança.
Agora, Zélie tem apenas uma oportunidade de trazer a magia de volta e atacar a monarquia. Com a ajuda de uma princesa fugida, ela terá de ser mais forte e mais astuciosa do que o príncipe herdeiro, que jurou erradicar a magia para sempre.
O perigo espreita em Orixá, onde leopardaires das neves andam à caça e espíritos vingativos rondam as águas. A grande ameaça, contudo, talvez seja a própria Zélie, que ainda não aprendeu a dominar os novos poderes, nem a paixão que começou a sentir pelo seu maior adversário.

OPINIÃO:
Quando iniciei esta leitura eu não ia com grandes expectativas, afinal é fantasia e infelizmente já tive algumas desilusões devido a pensar que seriam fabulosas e depois serem "mais do mesmo". Por isso, quando comecei Filhos de Sangue e Osso muitas pessoas andavam a ler, mas nem tinha visto se tinham gostado ou não, apenas sabia que eu também tinha que ler. E que boa surpresa que foi este livro, o início foi sim um pouco lento, mas ao contrário de muitos outros livros, este cheguei ao fim e percebi o porquê daquele início, ele era essencial para compreendermos toda a história, que leva depois aos pontos principais. Demorei alguns dias até chegar a pouco mais do meio, mas depois torna-se completamente impossível de largar esta trama que está recheada de surpresas a cada nova página. 

Este livro conta-nos a história de um mundo em que o rei matou todas as pessoas com magia, fazendo com que esta desaparece-se. Quando isto aconteceu, a personagem principal desta livro, a Zélie, era uma criança e hoje ela pensa que a magia se perdeu para sempre. Mas quando ela ajuda a princesa que fugiu e descobre que existe a possibilidade de trazer de volta a magia, tudo muda e ela torna-se numa verdadeira guerreira que irá fazer de tudo para alcançar o seu objetivo final.

A premissa inicial do livro até é bastante simples para um livro de fantasia, mas o que parecia simples, rapidamente se torna uma mistura de inúmeros segredos e mistérios a serem revelados que faz com que seja um mundo bastante complexo e interessante. O mais interessante é sem dúvida a forma como a autora desenvolveu este mundo e principalmente os diferentes Maji que existem. É sim um mundo bastante desenvolvido com muitas referências e acreditem que no início pode ser um pouco complicado perceber tudo, por isso que eu disse que a primeira parte do livro é mais lenta, mas quando assim "entram" nele tudo começa a se encaixar e torna-se bastante simples de entender.

Relativamente ás personagens, a Zélie é uma jovem que no início era bastante impulsiva, a verdade é que ela não sabe bem o que está a fazer e as responsabilidades que tem e por isso faz algumas asneiras ao longo da história. Mas isso é normal, afinal o pensamento nela era no que aconteceu à mãe à anos atrás e isso afeta-lhe imenso as escolhas, pois pensa mais com o coração do que com a razão. Mas ao longo que a trama desenvolve-se é percetível o quanto ela muda, ela é obrigada a crescer e quando tem que fazer escolhas que vão afetar não só a ela, mas também a milhares de pessoas é quando vemos o quanto ela amadureceu. No início não simpatizei muito com ela, mas rapidamente entendi o seu lado e comecei a gostar desta personagem que se torna bastante forte e importante para este mundo.

Depois também temos o Inan, o príncipe que no início irrita-me bastante. Este é o típico rapaz que só quer agradar ao pai, até aqui não tem nada de mal, o problema é que ele é o príncipe e o pai o rei, logo as atitudes dele não são assim tão boas. O Inan basicamente vai atrás da irmã e a parte inicial é basicamente ele a seguir as ordens do pai e a esconder aquilo que ele é. O Inan tem um segredo e sabe que se o rei descobre, não vai ser bonito e mesmo sabendo isso ele continuava a querer apenas agradar ao rei. É verdade que é compreensível, pois se pensarmos bem é apenas um jovem que quer ser aceite como é pelo pai, mas admito que algumas cenas irritaram-me bastante, mas isso só vez com que eu gostava ainda mais desta história pois foi uma mistura de sentimentos a cada nova página. Como já podem imaginar, vamos ter aqui um romance, admito que foi um pouco rápido, mas eu adorei, eu sou apaixonada por romances assim e a atração destas duas personagens é algo que realmente não estava nada à espera num livro de fantasia e foi um dos aspeto que mais gostei.

Outro aspeto que eu achei interessante é que normalmente a minha personagem favorita é a principal, mas neste caso não foi bem assim. Como já disse eu gostei imenso da evolução da Zélie, mas para mim, a Amari para mim foi a que mais me cativou. A Amari é uma jovem que cresceu com certas regras de ser uma princesa e o mais certo era ela ser mimada e que segue todas as regras, mas não é bem assim. Ela pensa por ela própria e não é pelo pai dizer que é assim que ela vai aceitar, ela vai criticar e principal vai por em causa alguns assuntos muito importantes que vai meter em causa os objetivos do pai, ou seja, do rei. Para mim a Amari é quem deu origem a esta história, se ela não tivesse tido a coragem de criticar as escolhas do pai e perceber que ele não estava a fazer o certo, não teríamos esta história. A Amari foi a personagem que mais me emocionou e só queria que tivesse mais cenas dela com um outro personagem (para saberem qual, têm que ler a história).

O livro é bastante intenso, basicamente é uma perseguição atrás de outra, onde temos inúmeras aventuras e vamos a cada nova página descobrindo algo novo. Se querem uma história com ação, este é o ideal, aqui temos inúmeras batalhas, que a cada nova ficamos com o coração apertado, onde vamos descobrindo um pouco mais da própria magia. Aqui temos reviravoltas que não vão estar nada à espera, mas que vão adorar, outras talvez nem tanto, mas faz parte do livro, desenvolvendo a complexidade que já tinha falado. Sem dúvida que Tomi Adeyemi sabia o que estava a fazer, todos os elementos, desde a história, as personagens e principalmente a forma como criou o mundo, tudo foi bem pensado e principalmente bem executado. A autora realmente conquistou-me e estou ansiosa para saber o que ela preparou para os próximos livros desta série. 

Eu adorei bastante esta leitura, quando comecei não estava nem perto de imaginar que iria gostar tanto e foi uma fantástica surpresa. Já vi pela Internet pessoas que normalmente não gostam deste género e quando leram deste gostaram bastante, realmente Tomi Adeyemi acertou em cheio e desenvolveu uma história que é sim de fantasia, mas colocou na quantidade certa, trazendo uma trama inovadora e criativa que faltava à literatura. Por isso, se fantasia não é o vosso género favorito peguem em Filhos de Sangue e Osso que acredito que não se vão arrepender. A escrita é bastante envolvente e juntando um mundo mágico bastante diferente de tudo o que já li, muitas aventuras, romance e ação do início ao fim, faz com que torne-se uma leitura inesquecível, tornando-se uma das minhas favoritas de 2018. 

Leitura com o apoio:

17/11/2018

Divulgação | A História dos Targaryen chega a Portugal

Já à algum tempo que não fazia divulgação de uma novidade aqui no blogue, mas este livro eu tinha que fazer um pouco mais do que apenas divulgar nas redes sociais. O mundo criado por George R. R. Martin cativou leitores e espetadores de todo o mundo e eu não fui exceção. 
Eu adoro esta história, mas principalmente os Targaryen, escusado será dizer que a minha personagem favorita é a Daenerys, por isso quando percebi que iria sair um livro que conta a história dos antepassados e onde vamos perceber como tudo começou eu fiquei bastante ansiosa, pois acredito que será ser uma viagem incrível.

Sabemos que em Abril vamos ter finalmente a 8ª temporada de Game of Thrones, mas é já no próximo dia 23 de Novembro (dois dias depois do original ser publicado) que a Saída de Emergência publica Sangue e Fogo que conta a história dos reis Targaryen e vai ajudar a que o tempo passe mais rápido até chegar Abril.
Esta emocionante história ganha vida pelas mãos de George R. R. Martin e com ilustrações de Doug Wheatley, ou seja, só poderá ser extraordinário!

Quem também está super curioso com esta novidade?
Sinopse: 
A emocionante história dos Targaryen ganha vida neste trabalho magistral do autor de As Crónicas de Gelo e Fogo.
Séculos antes dos acontecimentos de A Guerra dos Tronos, a Casa Targaryen – a única família de senhores dos dragões a sobreviver à Perdição de Valíria – fez de Pedra do Dragão a sua residência. Sangue e Fogo inicia a sua narração com a história do lendário Aegon, o Conquistador, criador do Trono de Ferro, e prossegue com o relato das gerações de Targaryen que lutaram para manter o icónico trono, até à guerra civil que praticamente destruiu esta dinastia.
O que aconteceu realmente durante a Dança dos Dragões? Porque se tornou tão perigoso visitar Valíria depois da Perdição? Qual a origem dos três ovos de dragão de Daenerys? Estas são apenas algumas questões a que esta obra essencial dá resposta pela mão de um reconhecido meistre da Cidadela e das trinta e quatro ilustrações a preto e branco.
Sangue e Fogo apresenta pela primeira vez o relato completo da dinastia Targaryen, permitindo uma compreensão perfeita da fascinante, dinâmica e por vezes sangrenta história de Westeros.

Uma novidade:

09/11/2018

Opinião | "A Paixão de Wilde" de Eloisa James

Título: A Paixão de Wilde
Autor: Eloisa James
ISBN: 9789898917416
Edição ou reimpressão: 10-2018
Editor: TopSeller
Idioma: Português
Dimensões: 150 x 229 x 23 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 384

Sinopse: Lorde Alaric Wilde é um famoso escritor e explorador inglês, venerado pelas suas perigosas aventuras e elegante aparência.
Após alguns anos no estrangeiro, regressa a casa. Só que Alaric não fazia ideia da sua celebridade até o seu navio atracar em Londres e ser recebido por uma multidão de senhoras desejosas de ver ao vivo o autor da famosa peça A Paixão de Wilde.
Para fugir a todo o rebuliço, Alaric refugia-se no castelo do pai. Lá, conhece a bonita e espirituosa menina Willa, que tem inúmeros pretendentes, mas não tem interesse por nenhum, e muito menos por um cuja vida privada é partilhada com o país inteiro. Alaric adora desafios e, até conhecer Willa, nunca se tinha apaixonado.
Conseguirá um homem que não aceita perder uma batalha conquistar uma mulher com um espírito indomável?

OPINIÃO:
Quando eu vejo que um novo romance histórico da Topseller eu fico logo bastante curiosa para o ler, fora que eu já à imenso tempo que queria ler algo desta autora. Nem sei como fiquei tanto tempo sem ler nenhum livro de Eloisa James, mas este foi o primeiro mas obviamente não será o último! Em poucas palavras posso dizer que o início foi um pouco difícil, mas depois que entrei na história foi sensacional.

A trama é bastante interessante, o Alaric Wilde é um Lorde, mas ele passou anos no estrangeiro e ao longo desse tempo escreveu várias histórias das suas aventuras que tornaram-se bastante famosas. Quando Alaric volta para casa é que se apercebe do quanto famoso que ele é. Quando chega ao castelo do pai conhece a Willa, uma jovem que não liga para as histórias dele e, ao contrário de todas as restantes jovens, não o admira e muito menos pretende ter algo com uma pessoa que é falada por todo o país. Claro que aqui começa um jogo de conquista, o Alaric fica admirado pela Willa e faz disto um desafio que pretende cumprir.

Este tipo de romances é o meu género favorito, eu quando começo estas fantásticas histórias eu perco-me completa. Neste foi exatamente isso que aconteceu e mesmo no início ter sido um pouco complicado, não sei o que era, talvez a escrita da autora que é ligeiramente deferente do que estou habituada, mas depois fiquei viciada nesse casal e só desejava saber como tudo iria terminar. A história é bastante interessante, aqui temos um lorde que é famoso entre as jovens devido ás suas histórias e acho que nunca li nenhum livro que o personagem masculino escreva livros (ou pelo menos não me lembro), o que foi uma super novidade para mim e gostei imenso.

Outro aspeto que gostei bastante é que o Alaric não quer esta atenção, principalmente quando descobre o que realmente estas jovens gostam e que não é propriamente dos seus livros e de literatura no geral. Este aspeto é interessante porque se pensarmos nos dias de hoje, infelizmente existem muito mais pessoas a preferirem os filmes do que propriamente o livro em si, não é que eu não digo que os filmes não sejam bons, mas é notório este paralelo em que o Alaric ficou famoso devido a uma peça de teatro, quando na verdade ele queria era que as pessoas lessem as suas aventuras.

Depois temos a Willa, a nossa personagem feminina que eu tenho que dizer que adorei. Willa é uma jovem inteligente e muito bonita, mas ela não segue o que os outros dizem, como tal a partir do momento que existe este homem famoso, ela não quer saber nada sobre isso. Ela nunca leu nada dele e muito menos viu a tal peça famosa e não tem interesse nenhum em conhece-lo. Com isto, começa aqui um jogo de "gato e rato" que vai acompanhando a maior parte do livro e que vai dar ao leitor momentos bastante divertidos. Ambos os personagens são bastante inteligentes e isso nota-se perfeitamente nos diversos diálogos que aqui temos, isto foi algo que a autora conseguiu mostrar perfeitamente bem do início ao fim, dando ao leitor a conhecer a personalidade destes personagens não por adjetivos, mas sim pelas suas próprias ações.

Outro aspeto interessante é o mistério sobre a peça A Paixão de Wilde, no início parecia que era outra, depois no meio comecei a desconfiar, mas verdade seja dita que nunca imaginei tal coisa. A autora consegue misturar as ações dos personagens com a realidade tão bem, que mesmo na altura em que quase estão a desvendar eu ainda pensava que era outra coisa. Vou ser sincera, não é um mistério gigante, mas a forma como Eloisa James desenvolveu a trama, faz com que o leitor duvide ao longo do livro todo e só quando descobrimos a verdade é que pensamos que realmente tudo fazia sentido.

A Paixão de Wilde é um livro inteligente, a escrita de Eloisa James é uma novidade para mim, é um pouco mais elaborada do que outros livros do género, mas isso só faz com que seja ainda melhor e rapidamente entramos de cabeça nesta trama. A história é cativante, o romance prende o leitor e está recheado de emoções. Para quem gosta do género eu recomendo imenso, esta autora conquistou-me e já quero ler mais dela.

Leitura com o apoio: