11/06/2018

5 Livros que Deveriam ser Publicados em Portugal

Já à algum tempo que queria fazer este post. Existem alguns livros que eu li que são tão bons que é uma pena não terem sido lançados em Portugal, depois as editoras em vez de lançarem livros bons lançam umas coisas que nem percebemos o porquê. Por tanto, aqui está 5 livros que eu simplesmente amei. Claro que esta lista é de acordo com o meu gosto pessoal. Aqui só estão livros únicos ou o primeiro de uma coleção, claro que existem muitos outros que são continuações de séries que nunca foram publicadas por cá, mas isso é para um outro post.

O primeiro chama-se Dangerous To Know & Love de Jane Harvey-Berrick e é o meu new adult favorito, eu já perdi a conta das vezes que o li e é completamente apaixonante. A história destes dois personagens é linda e o Daniel é um dos personagens masculinos mais fortes e determinados que eu já li. Têm que ler esta história. Acho que este livro se fosse hoje publicado em Portugal seria considerado cliché, deveria era ter lançado quando saiu lá fora, mas mesmo assim não poderia deixar de fora visto que é o meu favorito do género. Podem ler a minha opinião completa aqui no blogue.

Forbidden de Tabitha Suzuma é um livro que ainda não sei como não foi publicado cá em Portugal. Ao contrário do primeiro este seria uma grande mudança de tabus, é diferente de tudo, original, muito dramático, mas refletivo. Este é daqueles livros que jovens e adultos deveriam ler. Obviamente fartei-me de chorar, mas é uma história tão intensa que merece sim ser lida por mais pessoas. Mesmo que publiquem imensos livros, nenhum tão forte e marcante e acho sim que seria bem recebido hoje em dia. Também podem ler a minha opinião completa aqui no blogue.

Outro livro que acho que seria muito bem recebido pelos leitores portugueses devido a não haver outros iguais por cá é o Hate List de Jennifer Brown. A mensagem é tão profunda e trata de temas tão fortes que tenho a certeza que dava boas críticas. O público mais jovem precisa de perceber que existe certos limites que não podem ultrapassar e este é um excelente exemplo. Não compreendo como ainda não foi lançado por cá.

Agora um mais leve e divertido que eu adorei, este é daqueles romances amorosos, com algumas picardia pelo meio e muita confusão, mas muito bom. Paper Princess de Erin Watt é um romance jovem, mas que pelo meio deixa algumas mensagens fortes. Era tão bom que alguma editora pegasse nesta série.

O último livro que eu adorava que fosse publicado por cá é Talania - A Trip Down Memory Lane de Crystal Spears. Este é outro new adult que eu amo, a história é linda e completamente apaixonante. Trata de assuntos fortes, mas que merecem sim ser discutidos. Um romance lindo e que prende do início ao fim. Basta dizer que chorei horrores, mas vale a pena. Este também tem opinião aqui no blogue.

E estes foram os 5 livros que eu adorava que fossem publicados cá em Portugal, quais as vossas dicas?

10/06/2018

Filme | Com Amor, Simon

Baseado no livro O Coração de Simon Contra o Mundo de Becky Albertalli (Porto Editora, opinião aqui) o filme Com Amor, Simon estreia em Portugal no próximo dia 21 de junho e tive a oportunidade de assistir ao filme no passado dia 29 de maio (obrigada Porto Editora pelo convite) e acreditem é tão fofo como o livro.
Eu li o livro o ano passado e surpreendeu-me imenso, como eu escrevi na minha opinião eu não estava à espera de gostar tanto, mas esta história é tão fofinha que cativou-me desde o início e quando soube que ia haver filme fiquei super empolgada.

Para quem não leu o livro, aqui temos a história do Simon, um jovem que é gay mas nunca disse a ninguém. Mas quando ele começa a falar com o Blue por email, começa a sentir-se ele próprio e pouco a pouco começa a apaixonar-se pelo Blue. Mas quando o Simon deixa o email aberto na escola, um colega lê os email e começa a chantageá-lo para que o Simon consiga fazer com que uma das amigas dele saia com ele. A partir deste momento o Simon tenta fazer de tudo para que o colega não conte a ninguém, afinal não é que ele não queira que ninguém saiba, mas ele quer ser ele a contar as pessoas no seu tempo, fora que é a intimidade de duas pessoas que não pode ser divulgada assim do nada. Assim, a história é o Simon a tentar descobrir a identidade do Blue, mas também a relação dele com os seus amigos e com a sua família, o que torna bastante interessante e amoroso.

Começo já por dizer que adorei o filme, como todas as adaptações tem sim algumas diferenças, mas conseguiu transmitir a mensagem principal do livro que é o mais importante. Os atores escolhidos também ajudam imenso, o Nick Robinson (Simon) conhecido por urassic World, The 5th Wave e Everything, Everything, entre outros, neste filme interpreta um papel completamente diferente, mas faz este trabalho de uma forma soberba. Também Katherine Langford (Leah), conhecida pela série 13 Reasons Why, fez um papel fantástico como melhor amiga do Simon e interpretou perfeitamente toda a imagem que eu tinha dela. Neste filme também temos a Jennifer Garner e o Josh Duhamel, dois atores super conhecidos e que eu adoro, como os pais do Simon e posso dizer que sem dúvida não havia personagens melhores para estes papeis.
Desde aos personagens principais, até aos secundários, foram muito bem escolhidos, talvez alguns foram escolhidos estrategicamente, mas no final deu certo.

Como todas as adaptações o filme tem algumas diferenças com o livro, mas sinceramente a maioria dá para perceber o porquê de terem feito, só duas delas é que fizeram-me um pouco de confusão, mas é uma adaptação e é normal estas alterações e são sim justificadas. Por isso, não está completamente fiel, mas está perfeita porque no final a mensagem foi transmitida e ficou lindo e super fofinho.

As suposições de quem é o Blue é bastante diferente do que está no livro, mas eu admito que gostei. No princípio pode ficar um pouco confuso porque não dá para entender muito bem, mas quanto mais o filme avançada fiquei habituada e no final foi uma forma divertida e inteligente de demonstrar os pensamentos e as suspeitas do Simon. O principal do filme é sim a homossexualidade, mas vai muito mais além disso. Primeiro que não trata isto como tabu, que logo é algo que nunca deveria ter havido na nossa sociedade e muito menos nos tempos atuais, mas como sabem infelizmente existe e este filme vem mostrar a verdade de uma forma bastante divertida, mas fiel à realidade. Não é um filme triste sobre ser gay, pelo contrário, é alegre e cheio de cor, e não poderia ser de uma outra forma.
Também no filme temos um grande foco no bullying causado por adolescentes preconceituosos e acima de tudo a reação da família, que é algo que pode sim assustar muitos jovens a dizer quem realmente são. Sem dúvida rompe com preconceitos e que deve ser visto por todas as pessoas, para de uma vez por todas deixarem de estereótipos. 

Relativamente à banda sonora tenho que dizer que é fantástica e super divertida, tal como a mensagem que queriam passar, alguns momentos do filme eu própria queria dançar com os personagens o que tornou tudo bastante leve e divertido.

A única coisa que não gostei tanto foi uma cena no final que fiquei um pouco com vergonha do próprio personagem. Esta é uma cena diferente da do livro e que ficou bastante estranha, mas era essencial para o personagem e mostra o quanto uma pessoa pode evoluir psicologicamente. Aquela cena é como uma metáfora para o mundo e pensado bem, ficou genial para quem assiste.

Com Amor, Simon é um filme com uma mensagem poderosa, mas bastante jovem, alegre e sensível que recomendo imenso para quem leu o livro, mas também para quem não leu. O tema e a mensagem tem que ser divulgada, sem dúvida é um filme para jovens e adultos que merece ser visto e discutido. O filme estreia a 21 de junho nos cinemas portugueses! 

13/05/2018

10 Dicas para a Feira do Livro de Lisboa

A 88ª edição da Feira do Livro de Lisboa está prestes a começar e por isso trago-vos algumas dicas que considero essenciais para aproveitarem na perfeição este evento que é tão aguardado pelos livrólicos.
Este ano, a feira irá decorrer entre os dias 25 de maio (sexta-feira) e 13 de junho (quarta-feira) no já conhecido Parque Eduardo VII.
Eu já vou a esta feira à alguns anos e já tenho algumas "manias" que gosto de forma a conseguir aproveitar bem este evento. Algumas eu fiz e correu super bem, outras foram coisas que não pensei antes e quando cheguei percebi o quanto era importante.
Eu gosto imenso desta feira, o ano passado penso que fui apenas dois ou três dias, mas em 2016 cheguei a ir quase todos os dias (nos anos anteriores ia sempre pelo menos duas vezes) e é algo que eu aprecio, afinal é uma ambiente rodeado de algo que eu amo: livros!

1 - Planear
O que eu aconselho em primeiro lugar é planearem, apontarem os livros que gostariam de comprar na feira, normalmente o que eu faço é a lista com o nome do livro, preço a que está no mercado e a editora. Depois aconselho a verem o mapa da feira, que está disponível no site uns dias antes, e verem o local onde se encontra as editoras dos respetivos livros e apontarem também na lista.
Ainda nesta lista apontem se os livros têm mais ou menos de 18 meses, porque se tiverem mais podem compra-los na Hora H (ver ponto 8) e também aconselho a apontarem se algum está como livro do dia e qual o dia (ver ponto 7).

2 - Transportes
Outro aspeto importante é pensarem na forma como vão para a Feira. Se quiserem apanharem transportes públicos é muito fácil. Têm o metro mesmo junto à feira (Linha Amarela e Linha Azul, Estação: Marquês de Pombal) ou se vierem da linha de Sintra podem simplesmente apanharem o comboio e saírem no Rossio, têm é que subir a Avenida da Liberdade, mas sinceramente não custa nada (ou apanharem o metro).
Se vierem de outros pontos podem ir de comboio até Sete Rios (linha azul) ou Entrecampos (linha amarela) e apanharem o metro até ao Marquês de Pombal.
Se pensarem irem de carro eu aviso já que pode ser um pouco complicado de estacionar. A única vez que levei o carro para lá foi para ir exclusivamente à Hora H e à noite é super tranquilo, como a partir das 19h já não se paga parquímetro, foi mais vantajoso e encontrei facilmente lugar junto à escola Maria Amália. Mas se forem à tarde ou ao fim-de-semana acreditem que vai ser muito complicado e aconselho a deixarem o carro, por exemplo, na Cidade Universitária (linha amarela) e apanharem o metro.

3 - Mochila 
Este foi um erro que cometi nos últimos dois anos. Eu sempre ia para a feira com uma lista enorme, mas dizia sempre para mim que não ia comprar nem metade, mas obviamente que isso é impossível. Principalmente no ano passado, já me doíam os braços de tantos sacos e arrependi-me imenso de não ter levado uma mochila.
Para quem só vai dar uma volta e só pensa comprar um ou dois livros, então não acho essencial, mas para quem passa o ano a poupar uns trocos para nesta altura "desgraçar-se" então é OBRIGATÓRIO levar mochila. Não digo para irem com uma mala de rodinhas como o nosso querido Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, fez o ano passado, mas pelo menos uma mochila vai facilitar-vos de terem imensos sacos nos braços. E acreditem, por experiência própria, não é nada bonito.

4 - Água e Comida
Na Feira a comida e as bebidas são caras, até um simples café tem um valor superior. Chama-se negócio e isso é completamente normal. Se quiserem poupar para poderem gastar em livros, então a minha dica é levarem muita água e umas sandes e bolachas para comerem no tempo que lá estiverem. Mas se isso não for o mais importante, na feira têm algumas comidas mais diferentes, são um pouco caras mas é uma escolha. Também têm sempre a possibilidade de irem ao Burguer King que é lá perto. Mas aconselho sempre a levarem água, normalmente o dia está quente e é muito importante.

5 - Cuidado com o Sol
Este foi outro erro meu. Sinceramente não pensei que estivesse tanto calor e mesmo tendo levado água e comprado lá, houve um dia que apanhei escaldão. A feira decorre ao ar livre e mesmo havendo várias sombras, o normal é ficarem no sol. Por isso, a minha dica é colocar protetor solar na cara e braços (pelo menos), levarem um chapéu/boné e um casaquinho fresco para protegerem do sol. Se estiverem algum tempo numa fila para um autógrafo, ou até mesmo para pagar, vão agradecer estas dicas.

6 - Eventos/Autógrafos 
Durante a feira do livro algumas editoras fazem sessões de autógrafos com escritores e é uma excelente oportunidade para terem os vossos livrinhos assinados. Para terem acesso a todos os eventos podem ir ao site que fica disponível alguns dias antes ou vão diretamente às redes sociais das editoras. Mas a dica que eu dou é para irem cedo, não vale a pena muito tempo antes, mas chegar cerca de 40/30 minutos antes é muito melhor do que em cima da hora. Um exemplo foi a sessão da Paula Hawkins do ano passado que muitas pessoas ficaram imenso tempo ao sol porque a fila era grande. Eu fui cedo e felizmente consegui ficar debaixo do toldo e foi tudo muito rápido, mas quem chegou mais tarde acredito que foi um autêntico horror, principalmente devido ao calor que estava nesse dia.

7 - Livro do Dia
Outra coisa boa para quem não pode esperar pela Hora H é ver quais os livros em cada editora que estão com desconto de Livro do Dia, normalmente o desconto é bastante bom e varia de dia para dia. Podem consultar estes "Livros do Dia" no site da feira e ver se no dia que lá vão está algum livro nesta promoção que vos interessa, ou até mesmo para escolher o dia que lá querem ir. Eu já comprei muitos livros nesta promoção e acreditem que vale a pena.

8 - Hora H
E agora aquela altura da feira que qualquer pessoa perde a cabeça: a HORA H. Infelizmente só o ano passado é que fui à Hora H e foi sem dúvida onde gastei mais dinheiro e tenho sim algumas dicas que reparei.
Primeiro têm que saber que a Hora H acontece das 22h até as 23h de segunda a quinta e é onde a maioria das editoras colocam os livros com mais de 18 meses com 50% de desconto. Mas atenção, algumas editoras colocam todo o catálogo com mais de 18 meses nesta promoção, outras fazem uma pequena seleção e outras nem sequer aderem a esta promoção. No caso da 20|20 Editora, o ano passou não aderiu à Hora H e este ano já divulgaram na página de facebook que vão aderir. Por isso a minha primeira dica sobre a Hora H é vão mais cedo e perguntem diretamente às editoras se são todos os livros com mais de 18 meses que entram nesta promoção, se é apenas uma seleção ou se não entram sequer, assim já sabem o que podem contar durante esta hora que passa a correr.
A segunda dica sobre a Hora H é que se quiserem algum livro do grupo Leya recomendo que comecem por lá e a melhor maneira é como eu fiz o ano passado que foi: cheguei as 21h, coloquei com calma no cesto todos os livros da Leya que eu queria comprar e as 21:40 fui para junto das caixas. Nesta hora já havia duas pessoas à minha frente e assim que bateu as 22h paguei logo e pronto, antes das 22:10 estava despachada da Leya. A Leya tem imensas chancelas e foi onde gastei mais dinheiro e vale a pena fazer isto porque quando eu sai vi uma fila gigantesca o que faz com que se tiverem azar fiquem na fila até as 23h e depois não podem utilizar o desconto.
Depois de sair da Leya eu fui a outras editoras e estava tudo muito calma, só a Porto Editora também tinha uma fila, mas nada comparado com a Leya. Por isso a minha dica é comecem pela Leya, vão mais cedo e antes das 22h metam-se na fila!

9 - Alfarrabistas
Na feira não existe apenas as editoras, também temos alguns alfarrabistas que se procurarem bem acreditem que vão encontrar livros bons a excelentes preços. Normalmente nos alfarrabistas são livros em segunda mão, mas a minha experiência diz que se dedicarem bem na busca vão encontrar livros completamente novos por um preço muito melhor. Estas "barraquinhas" sem dúvida são a minha perdição, eu até gosto de livros usados e consigo ficar horas ali a procurar o que eu quero de forma a conseguir o livro que eu quero pelo melhor preço. Mas atenção, não se deixem enganar, já cheguei a ver livros nos alfarrabistas que estavam ou mesmo preço, até cheguei a ver mais caro, do que estava a editora a vender (devido às promoções), por isso têm que pensar bem se vale a pena e ser esperto na hora de comprar.

10 - Conhecer novas Pessoas
Por último, o que eu mais gosto da feira do livro é que é possível conhecer novas pessoas que têm os mesmos gostos. Existem grupos no facebook que combinam encontros para falar sobre livros, mas até mesmo em alguma fila é ótimo para meter um pouco de conversa, afinal de contas todos estão ali pelo mesmo: os livros. Não fiquem com vergonha, se os vossos amigos não são muito fãs de literatura, este é o local ideal para conhecerem pessoas que gostam e não fiquem com medo de irem sozinhos, a feira encontram imensos amantes de livros tal como vocês, fora que o local tem bastante segurança e polícia, o que torna seguro (claro, estando sempre atento e não irem para os locais mais afastados, principalmente à noite, que devido às árvores pode não ser visível).

Estas foram as dicas que eu acho essenciais para quem vai à feira do livro, de resto só tenho a dizer para aproveitarem bem e fazerem boas comprinhas. 
Têm alguma outra dica? Deixem nos comentários que eu agradeço :D

10/05/2018

A LIVRARIA, nos cinemas em Junho

Baseado no livro A Livraria de Penelope Fitzgerald (Clube do Autor, 2016) chega a Portugal, na segunda quinzena de Junho, o filme que conta a história da luta de uma mulher na tentativa de abrir uma livraria numa pequena vila costeira.
Eu não li o livro, mas quando vi o trailer fiquei bastante curiosa, afinal fala de livros e da forma como esta mulher vai tentar levar a literatura a outras pessoas. Eu como eu apaixonada pelos livros já estou ansiosa para ver esta história e apaixonar-me pelo modo de vida da personagem que acredito que vai ser bem inspiradora.
Pela sinopse do livro e do trailer do filme parece-me que vai haver algumas diferenças de adaptação, mas isso é normal em qualquer filme que é baseado num livro e tenho a certeza que a mensagem principal vai lá estar. 
Para quem entende de cinema, este filme é dirigido pela cineasta catalã Isabel Coixet e promete ser bastante poético e sensível. Estou com altas expectativas e assim que assistir divulgo a minha opinião aqui no blogue!

O filme tem data prevista para 21 de Junho e conta com a participação de Emily Mortimer, Bill Nighy e Patricia Clarkson nos principais papéis.


Alguém já leu o livro? Ficaram curiosos com o filme?