20/11/2020

Opinião | "Stars - A Lua Mais Escura" de Anna Todd

 

Li o primeiro em 2018 quando a autora veio a Portugal pela primeira vez a uma sessão de autógrafos com os fãs, mas não lembrava de muito sobre esta história. Tive que ir ler alguns capítulos finais para relembrar e então iniciei esta leitura. A Lua Mais Escura é uma continuação direta do primeiro livro, por isso sim, é necessário lerem o anterior para compreenderem esta trama. Iniciei a leitura com grandes expetativas e queria saber mais sobre o romance entre os dois protagonistas, mas não foi bem o que encontrei. Neste segundo livro a autora foca-se muito mais nos personagens secundários e na vida militar no que propriamente no romance. Não é um aspeto negativo, até foi interessante perceber melhor a vida dos militares, só não foi exatamente o que esperava.

Esta continuação mostra o que aconteceu após a Karina descobrir que o Kael escondeu algo dela e ajudou o seu irmão a conseguir algo que ela não queria. É basicamente ver como ela lida com esta situação e de que forma vai (ou não) superar esta escolha do irmão. O livro é bem curto, mas ainda temos bem presente a história de vários personagens secundários, uma delas é a amiga da Karina que está grávida e tem o marido longe numa missão e ela está sozinha a ultrapassar tudo. Também temos outros personagens com histórias interessantes que mostram ao leitor como é viver no meio militar.

Sobre o Kael e a Karina achei que a autora poderia ter aprofundado muito mais a relação dos dois, temos um desenvolvimento bastante lento e cauteloso. Eles sabem que precisam um do outro, mas vemos que ao longo do livro estão sempre a fugir e a lutar para ficarem separados. Aqui é uma abordagem mais adulta que Anna Todd já habitou no primeiro volume, mas que sinceramente queria muito mais porque eu gosto tanto destes personagens que acho que mereciam um maior desenvolvimento. 

Uma coisa interessante é que eu gosto da Karina, mas em alguns momentos neste livro fiquei irritada com ela, compreendo a sua preocupação e medo pelo futuro do irmão, mas é uma escolha dele. Não é que ela deveria concordar, mas o Kael não tem culpa do que o irmão dela decidiu e basicamente ela coloca as culpas todas no Kael e não vê mais nada para além disso. Já o Kael cheguei a um ponto do livro que só queria entrar na história e gritar com ele para ele parar de ser totó e correr atrás da mulher que ele quer. Foram momentos durante a leitura que fiquei bastante nervosa e irritada com estes personagens, mas isto é uma das melhores características da autora, mesmo se gostem ou não dos livros de Anna Todd, o que ela tem de melhor é colocar várias emoções no leitor, isso ela faz maravilhosamente bem e eu adoro!

Mas, na minha opinião, este segundo livro não é tanto sobre Karina e Kael, mas sim sobre a vida militar e como diferentes pessoas vivem esta vida. Sabemos que ser mulher, pai ou filho de um militar não é nada fácil e aqui a autora mostra tudo, desde a dor da perda, a dor de não saber se vai voltar, a dor de um trauma e muito mais que faz com que esta vida é bastante complicado e que é muito difícil aceitar querer fazer parte. Ao longo do livro temos alguns personagens que vão apresentado a sua história e mostrando ao leitor o quanto isso é difícil. A história da Elodie é uma das minhas favoritas, ela é uma jovem que mudou de país por amor, mas agora grávida e sem o marido, apenas a ajuda dos amigos a faz lutar todos os dias. A história dela é muito interessante, mas admito que fiquei um pouco chocada com a parte final do livro, não sei de que forma isto vai ser desenvolvido no próximo livro, mas fiquei bastante curiosa e ansiosa por conhecer mais.

A Lua Mais Escura é uma continuação onde mostra os personagens a seguirem em frente mesmo que as escolhas não sejam as que o leitor quer. Uma história onde o amor e o perdão nem sempre andam juntos, mostrando o lado mais frágil e humano destes personagens. Um romance sobre lutas, amor, família, a vida militar e tudo o que vem daqui. Estou sim muito curiosa para o terceiro livro para saber como tudo vai terminar e o que a autora reservou para estes personagens.


Leitura com o apoio:

13/11/2020

Opinião | "Minha Sombria Vanessa" de Kate Elizabeth Russell

 

Iniciei esta leitura sem grandes expetativas, sabia por alto o tema e do que tratava, mas sinceramente não sabia o que esperar. E ainda bem que fui assim, este livro não é para acusar, nem apontar o culpado e sim perceber como a pessoa que é inocente lida com toda a situação. A autora não critica ninguém, apenas coloca os acontecimentos para ser o próprio leitor a fazer os seus juízos de valor. Digo desde já que não é um livro fácil, a maioria das ações são bem explícitas e até são bem complicadas de digerir, mas é importante para percebermos tudo o que estes personagens viveram.

Em Minha Sombria Vanessa conhecemos esta jovem que desde os 15 anos tem uma relação com o seu professor. Aqui vamos acompanhar como tudo aconteceu no passado e como eles começaram a envolverem-se. Já no presente, vários anos depois, a Vanessa é adulta e vamos perceber o quanto aquela relação influenciou a sua vida e ainda influência. Agora uma aluna está a acusar o professor de abuso sexual e a Vanessa tem que lidar com toda a situação e relembrar tudo o que aconteceu, mas também perceber que afinal talvez nem tudo foi exatamente como ela pensava.

Desde logo o início vemos o quanto a Vanessa tem grandes problemas devido a tudo o que viveu. Posso dizer que ela está traumatizada e presa ao passado, não quer ver a verdade e num caso destes é normal, ela é sim acompanhada, mas na verdade ela não conta tudo, só quando desabafa a verdade é que as peças do puzzle começam a juntarem-se e tudo começa a vir ao de cima, mas isso só faz com que o psicológico da Vanessa ainda fiquei pior. Desde o início do livro vemos o quanto ela é frágil e muito influenciada e não, nada é culpa dela. Desde os 15 anos a Vanessa só queria ser aceite como era, o problema foi que em vez de encontrar jovens da mesma idade, teve o azar de ter como professor um homem que sabe falar muito bem e através de pequenos atos e palavras de carinho que consegue influenciar e manipular a Vanessa.

A Vanessa tinha apenas 15 anos, com esta idade os jovens só querem ser aceites, terem amigos e ter alguém com quem falar e esta jovem não teve isso. Por isso não, é óbvio que ela não teve culpa nenhuma. O grande problema aqui foi este professor que conseguiu manipular a Vanessa e faz acreditar que ela era o mais importante para ele. Chegou ao pé dela e mostrou interesse por tudo o que ela gostava e assim aproximou-se cada vez mais. Aqui é que está mal, ele era o adulto, ele era professor e tinha uma forma de falar que levava a acreditar as mais jovens. A forma como ele lidava com a Vanessa em criança era simplesmente nojento, sempre dizia "só faço o que tu queres", mas era óbvio que nunca seria assim e é notório na primeira vez que estão juntos. O problema é que ele levava a Vanessa a acreditar que foi o que ela queria e ela era uma criança e acreditava em tudo o que ele dizia (novamente o poder da palavra).

Quanto mais o tempo ia passando eu ia pensando "mas ninguém percebe nada?" e sim percebem. O problema é que ele mostra à Vanessa que se ela contar claro que ele teria consequências, mas as maiores seriam para ela, com pequenas frases ele convence novamente a Vanessa que se ela contar a culpa seria dela. O colégio como é óbvio rapidamente esconde tudo, mas o pior é a mãe da Vanessa. No livro percebemos perfeitamente que a mãe sabe, mas decide não fazer nada e realmente colocar as culpas na filha. Não entendo, ela é uma criança, como assim uma mãe não faz nada? É um livro onde uma criança é influenciada por um homem e no final é acusada pela própria mãe. Como é que esta jovem poderia crescer de forma saudável? Claro que não poderia.

Este livro é a prova como uma vítima de abuso cresce e todos os problemas psicológicos que vêm disso. O final pode não ser o mais esperado pela maioria dos leitores, mas é o mais verídico porque mostra como a maioria das vítimas sentem, não é para trazer um final "floreado", isso a autora não faz, é simplesmente o que acontece com a maioria. Se concordo, não, mas só quem passa por isto é que pode "opinar" e o que devemos focar é na recuperação destas jovens para conseguires ultrapassarem toda a situação da melhor forma. Um livro forte e cru que pode deixar o leitor incomodado mas que é bastante essencial. 

Leitura com o apoio:

11/11/2020

Opinião | "O Indomável Mackenzie" de Jennifer Ashley

 

Eu adoro a família Mackenzie e a autora escreve maravilhosamente bem, todos os seus livros são incríveis, bastante envolventes e com histórias muito interessantes. Mas normalmente os contos não são traduzidos por cá, por isso nunca achei que esta história seria publicada e fiquei muito surpreendida e a verdade é que faz todo o sentido conhecer-mos este personagem. Afinal de contas mesmo ele sendo um filho ilegítimo, ele pertence à família Mackenzie e nada mais certo do que também termos a história dele.

Nesta pequena história temos a Louisa (irmã da Isabella - segundo livro) que é acusada de ter morto um homem rico e poderoso após este a ter pedido em casamento, todas as pistas estão contra ela e sabem que a única pessoa que poderá descobrir a verdade é o inspetor Lloyd Fellows. Lloyd e Louisa já no passado beijaram-se, mas ele pertence à classe trabalhadora e é um filho ilegítimo, por isso sabe que nunca poderá ter nada com ela, mas é dos únicos homens que também sabe que a Louisa nunca mataria uma pessoa. Assim, vai fazer tudo para descobrir a verdade e ajudar a Louisa.

Já conhecemos o Lloyd dos livros anteriores e admito que até então não tinha gostado muito dele, mas aqui percebemos como foi a sua vida e o quanto ele sofreu por ser filho ilegítimo. Aos poucos e poucos fui compreendendo este personagem e comecei a ter um afeto enorme por ele. Os Mackenzie receberam ele e a sua mãe de braços abertos, mas mesmo assim ainda sente-se inferior e é bonito o quanto ele muda e percebe que tem sim algo de bom a dar aos outros e que também merece ser feliz. Mas ele também é muito casmurro e não desiste facilmente das suas ideias, ele acha que não é o ideal para a Louisa e se não fosse ela talvez o final tivesse sido bem diferente. Já a Louisa eu adorei desde o início, é uma jovem que sim, está assustada devido ao que está a ser acusada, mas quer à força toda descobrir a verdade e mostrar que é inocente. Ela é decidida e corre atrás do que quer e adorei imenso isso nesta jovem que mostra o que quer sem se importar com o que vão pensar.

O romance é rápido, afinal de contas é um conto, mas não achei forçado. Eles já tinham uma história em conjunto e como neste livro foram "obrigados" a passar mais tempo juntos esta atração que sentiam um pelo outro cresceu rapidamente. É um romance lindo que foge dos padrões "normais" da época mas que ficamos completamente apaixonados e torcemos desde o início pelos dois. Aqui temos a oportunidade de conhecer mais sobre a família Mackenzie, temos vários personagens dos livros anteriores que vão aparecer e vai ser incrível ver como eles estão, como já disse, é uma história importante para quem gosta esta família maravilhosa e fico bastante feliz pela editora ter decido publicar por cá.

A resolução do caso em si também é interessante e tal como nos livros anteriores, também temos aqui um mistério que prende o leitor não só pelo romance, mas também para conhecer quem realmente matou o bispo, será que foi mesmo a Louisa? Foi outra pessoa? Mas como se ela era a única quando ele morreu? A resposta a estas perguntas vão aparecendo ao longo do livro e gostei imenso, traz todo um ar interessante ao livro e não conseguimos parar de ler até descobrir a verdade toda!

Jennifer Ashley escreve romances de época incríveis, a sua escrita é simples e envolvente e trata sempre de temas fortes. Esta série tem personagens maravilhosos e ficamos sempre curiosos para saber mais e mal posso esperar para ler o próximo livro que é do personagem que mais ansiosa estou para ler a sua história, nada mais, nada menos, que o Daniel. Desde o primeiro livro que conhecemos este personagem e vemos eles a crescer e devido ao pai (e tios) que tem, acredito que a sua história vai ser linda. Neste conto ele tem uma participação maior e já podemos ver um pouco mais da sua personalidade e eu adorei, se já estava ansiosa pelo seu próprio livro após este conto sei que vou adorar e espero mesmo que a editora não demore muito a publicar. Aqui temos um conto pequeno e rápido, mas que traz informações importantes sobre esta família e que tem um romance maravilhoso e sem dúvida é obrigatório para ficarmos a conhecer ainda melhor todos estes personagens criados pela autora.

Leitura com o apoio:

20/10/2020

Opinião | "Suave Conquista" de Nicole Jordan

 

Quem acompanha aqui o blogue sabe que eu adoro romances de época, digo mesmo que é um dos meus géneros favoritos, por isso assim que sai um novo livro eu preciso logo de ler. Já tinha lido esta autora e sabia que era muito boa, mas quando li o primeiro desta série eu gostei mas achei que faltou alguma coisa, já o segundo livro foi incrível e sensacional, uma evolução gigante do primeiro para o segundo. Claro que assim eu estava com altas expetativas e foi mais uma leitura incrível, não acho que ultrapassou o segundo, mas é um livro de uma personagem que já esperava desde o primeiro e que foi consistente com o perfil da personagem.

Neste livro temos a história da Lilian, a irmã mais nova das duas protagonistas dos livros anteriores, e ela não quer casar. Ela não acredita no amor e por isso não pretende ter um casamento igual ao dos pais que tanto a fizeram sofrer. O problema é quando um dos melhores amigos do marido da irmã fica encantado por ela e ela não consegue resistir aos beijos sensuais. É uma luta constante entre os dois, desde fugas a desafios interessantes e muita resistência do lado da Lilian, afinal de contas ela está decidida a ser independente e a não casar!

Desde o primeiro livro que eu fiquei bastante curiosa para conhecer a história da Lilian. Desde logo percebemos que ela não é uma mulher fácil, ela é decidida, tem um feitio "bem especial", o que fez logo eu acreditar que o livro dela seria bastante diferente. E verdade é que foi, neste livro esta personagem tem um trauma bastante grave no que toca a casamento, a ideia dela de um casamento não é o ideal e ela própria sofreu imenso devido a todos os problemas do casamento dos pais. Podemos dizer que ela não vê o casamento com bons olhos devido exclusivamente aos pais e a tudo o que ela presenciou. Isto faz com que em mais de metade do livro percebamos o quanto vulnerável esta jovem é e que todo o ar de forte é apenas uma máscara que esconde alguns segredos. A Lilian também tem um grave problema em confiar nas pessoas, principalmente em homens e a evolução dela ao longo do livro é incrível e chega a ser emocionante.

Já o Heath é um homem que nunca pensou casar (podemos ver no primeiro livro o que ele diz ao amigo), mas quando conhece a Lilian sente algo diferente e desperta-lhe algo que nunca pensou. Ele precisa de a ter, mas sabe que para isso tem que casar com ela. Aqui começa os problemas porque a Lilian não quer casar com ele nem com ninguém e o Heath vai lutar para a ter. Para isto vamos ter alguns desafios bastante interessantes que vai fazer o leitor rir imenso e vai dar oportunidade para estes dois conhecerem-se cada vez melhor. Eu gostei da forma como a autora desenvolveu esta trama, mas afinal de contas estamos a falar de uma jovem muito decidida e que tem problemas com a ideia de casamento e de confiança, claro que não vai ser fácil e é preciso muito empenho e dedicação. É ao longo de todo este caminho que percebemos o quanto o Heath tem um coração gigante e também vemos a atração inicial dos dois a desenvolver-se para algo muito maior e muito bonito. O problema continua a ser que a querida Lilian não pretende casar, ela até dá algumas "sugestões" alternativas para que os dois possam estarem juntos. Esta parte é interessante porque mostra efetivamente o tempo em que a história se passa, afinal de contas estamos a falar de um romance de época onde tudo era muito diferente.

Suave Conquista é um livro sobre a teimosia da Lilian e da persistência do Heath, o que torna a história bastante cativante, afinal de contas não conseguimos parar de ler até perceber como tudo vai acabar. Nicole Jordan escreve maravilhosamente bem, um dos pontos principais é que a autora consegue envolver o leitor deixando-o preso do início ao fim, ou seja, uma escrita bastante envolvente e fluída. Outro aspeto deste livro é que temos outras personagens secundárias incríveis que fizeram o livro ainda ficar mais atrativo, além da atração dos personagens principais, temos um drama de duas amigas da Lilian e que ela vai tentar ajudar a resolver o problema da melhor forma. Isto só traz um caracter mais intenso à história, tornando assim a leitura ainda mais cativante. 

Aqui temos um romance emocionante e muito bem escrito, talvez o único aspeto que minimizava era a teimosia da Lilian, admito que chegou a um momento e já chateou-me, mas devido a tudo o que ela passou no passado até se compreende. Fora isso, é um livro que se lê muito bem e sim, têm que ler os dois anteriores primeiro para perceberem tudo neste. Esta série ainda tem 6 livros de outras personagens e mal posso esperar que sejam publicados para os ler!

Opinião dos livros anteriores:

Leitura com o apoio: