27/08/2019

Opinião | "A Soma de Todos os Beijos" de Julia Quinn

Título: A Soma de Todos os Beijos
Autor: Julia Quinn
ISBN: 9789892345741
Edição ou reimpressão: 07-2019
Editor: Edições Asa
Idioma: Português
Dimensões: 155 x 234 x 22 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 320

Sinopse: Ele acha-a enervante…
Se há coisa que Hugh Prentice não suporta é uma mulher teatral. Ele é um génio da matemática, um homem sério e pouco dado a dramatismos. Lady Sarah Pleinsworth representa tudo aquilo que ele detesta. Claro, ela até pode ter os seus encantos, mas depois do duelo que o deixou marcado para sempre, Hugh já desistiu de procurar o amor.
Ela acha que ele é doido varrido…
Sarah nunca perdoará Hugh pelo mal que causou à família dela. E mais, não quer ter NADA a ver com esse homem. E não, não é por causa do ferimento na perna, longe disso… é que ele é simplesmente de-tes-tá-vel! Mas quando ambos se veem forçados a passar uma semana juntos, depressa percebem que as primeiras impressões não são de fiar. E quando o primeiro beijo dá lugar ao segundo e ao terceiro, o brilhante matemático acaba por lhes perder a conta… e a jovem, por uma vez na vida, fica sem fala.
Terceiro volume do quarteto Smythe-Smith, A Soma de Todos os Beijos é uma obra hilariante e tremendamente romântica, bem ao estilo de Julia Quinn. 

OPINIÃO:
Assim que pego num novo livro de Julia Quinn eu sei que vai ser uma leitura fantástica. A autora escreve maravilhosamente bem e em todos os livros consegue surpreender o leitor. A Soma de Todos os Beijos não foi excepção. Este é o terceiro volume da série Quarteto Smyth-Smith e foi uma leitura bastante compulsiva, mais uma vez a autora conseguiu desenvolver uma história criativa que só mostra o quanto Julia Quinn não desilude.

Neste livro temos a história da Sarah Pleinsworth que nunca conseguiu perdoar o Hugh por tudo o que fez à sua família, mais propriamente ao Daniel. Mas já sabemos a história de todo este acontecimento e o Daniel está obviamente muito bem, mas a Sarah nunca esqueceu e guarda um grande rancor pelo Hugh. Quando têm que conviver os dois na mesma casa são obrigados a estarem juntos e claro que nada é o que parece, tudo muda de figura. Afinal vamos ter aqui dois casamentos próximos um ao outro e porque não os convidados mais chegados ficarem esse tempo juntos a conviverem? Claro que tudo ainda fica pior quando a prima pede a Sarah para fazer companhia a Hugh visto ele estar ali sozinho.


O Hugh é um personagem que eu fiquei curiosa nos livros anteriores e neste só veio mostrar o quanto eu tinha razão e que ele é maravilhoso. Este personagem é bastante inteligente e tem um humor bastante característico, afinal ele tem que lidar diariamente com o seu ferimento na perna, mas ele sabe que o que aconteceu é completamente culpa sua e a forma como ele lida com isso é bastante bonito de se ler. Claro que em alguns momentos cheguei a ter pena dele, mas ao longo do livro ele mostra que não precisamos de sentir isso, rapidamente percebemos que a sua deficiência não o impede de ser quem é. O Hugh é um homem forte, que mesmo com dores consegue dar tudo o que pretende, de forma a não desiludir ninguém, mesmo que isso o leve a ficar pior.

Já a Sarah admito que no início fiquei com um pouco de raiva dela, se o Daniel que foi o que sofreu mais perdoou o Hugh, porquê é que ela não deixa o passado para trás? Mas claro que se fosse assim tão simples não tínhamos esta história. A Sarah não consegue esquecer o passado e faz de tudo para que o Hugh saiba disso. No início ela era irritante como tudo, mas ao longo do livro descobrimos que ela é muito mais do que isso e pouco a pouco comecei a gostar imenso de ler sobre ela. A Sarah não mede o que diz, se tem algo que não gosta ela diz na cara sem medo e ela mostra ter uma grande força e uma personalidade bastante forte. Quando percebemos este lado dela é possível gostar bastante desta personagem e torcer por ela.

Julia Quinn é mestre em desenvolver histórias que no início parecem ser super simples, mas que se transformam em algo maravilhoso que faz o leitor ficar completamente apaixonado. Novamente esta autora não desiludiu, a história está recheada de humor, diversão e momentos românticos que é o típico livro que eu mais gosto. Fora que a época em que se passa a história é outra razão por eu gostar tanto, nesta altura haviam tantas "regras" e etiquetas que ver os personagens a quebrá-las é sempre muito divertido. Eu também adoro uma boa história que começa com ódio e que passa a amor, é sempre bom ver essa evolução e mudanças nas personagens e a autora conseguiu fazer isso de uma forma excepcional.

A Soma de Todos os Beijos é uma leitura bastante romântica, muito engraçada, mas principalmente carregada de sentimentos profundos onde o perdão e a confiança é o principal tópico. Tal como os livros anteriores da autora, temos um drama excessivo, mas eu até gosto, farto-me de rir com estes personagens e é um toque já característico de Julia Quinn. Como sempre a escrita é contagiante e assim que pegamos neste livro é impossível de o largar, queremos saber tudo o que vai acontecer a estes personagens e só é possível de parar quando se chega ao final. Julia Quinn é assim! Recomendo esta série para quem gosta de um bom romance cheio de surpresas e com um turbilhão de sentimentos à mistura, mas principalmente para quem leu a série Bridgerton.

Leitura com o apoio:

Sem comentários:

Publicar um comentário

Aqui podem deixar todos os comentários e prometo que responderei o mais rápido possível.

Comentários que não são construtivos não serão aceites.