05/04/2021

Opinião | "O Rei Perverso" de Holly Black

 

Quando li O Príncipe Cruel eu estava completamente fascinada por esta fantasia. Fiquei completamente presa na história e nas personagens e poucas séries deste género deixaram-me assim. Como tal, escusado será dizer que terminei o primeiro e só queria ler a continuação. O Rei Perverso foi lançado cá este ano e assim que iniciei a leitura eu sabia que seria um livro 5 estrelas. Eu já esperava um excelente livro, mas conseguiu ainda superar as minhas expetativas. 

Após o final de O Príncipe Cruel, Jude controla as escolhas do Carden, mas gerir uma corte não é tarefa fácil e é preciso mais do que um rei e as mentiras e as intrigas estão cada vez mais presentes. O tempo está a passar, a Jude tem que tomar escolhas difíceis e quando uma pessoa próxima a atraiçoa pode ser o fim de tudo. A convivência com Carden não é fácil, ele não gosta de ser manipulado e não quer o trono, mas Jude precisa que ele fique no poder até o irmão ter idade suficiente.

Começo já por dizer que este livro foi uma enorme montanha-russa de emoções. Num momento estava a rir, logo a seguir estava a sentir ódio e depois já estava a chorar. Holly Black destruiu-me completamente como já algum tempo não acontecia numa fantasia. Pior ainda é quando pensamos que tudo está a encaminhar-se para algo e a autora traz uma reviravolta gigante que abala por completo o leitor. É uma fantasia e deveria ser uma leitura fácil? Mentira, aqui ficamos com o coração e a mente destruída e ainda queremos mais.

A Jude está ainda mais forte, ela sabe que não pode mostrar fraqueza e gostei imenso de ver a forma como ela lida com a parte política e consegue também entrar nos "jogos" e manipular as fadas para seu próprio proveito. A Jude é das personagens femininas que mais gosto atualmente, ela é incrível e a forma como ela lida com tudo em prol do seu irmão é simplesmente lindo. Tudo o que ela sofreu no passado ajudou para ser a mulher que é hoje e ela continua a lutar para manter o medo escondido, claro que em alguns momentos tem atitudes menos corretas. Quando ela fica mais emocional não toma as melhores atitudes e acho que esse é o grande problema dela, quando quer consegue esconder bem os seus sentimentos, mas quando acha que está segura mostra tudo e é nesse momento que ela sofre mais.

O Carden é uma personagem que desde o primeiro livro fiquei bastante intrigada. No início achamos que é um miúdo mimado, mas quando descobrimos a sua história só queremos ajudá-lo a ultrapassar tudo. Mas quando ele vê-se num momento vulnerável e é traído nota-se que ele muda e neste segundo livro é difícil aproximar dele, mas não é impossível e como já esperava, fiquei completamente rendida. Ele está a ser obrigado a ser algo que inicialmente dizia que não queria, mas vamos ser sinceros, o papel fica-lhe muito bem e é notável a evolução da personagem ao longo do livro ao ponto de passar a ser o manipulador da história. 

Relativamente a Carden e Jude eu acho-os simplesmente perfeitos juntos e neste livro temos vários momentos que só queremos abraça-los como também os queremos matar, mas vale tanto a pena. Perdi a conta das vezes que emocionei-me e irritei-me com os dois, mas no final eles encaixam-se tão bem que só mesmo eles para não perceberem isso. Ambos sabem que precisam um do outro, só não sabem até que ponto realmente precisam e mal posso esperar para ler o terceiro para saber como tudo isto vai ser desenvolvido.

A história é repleta de momentos de ação, seja por todos os inimigos que querem derrubar o rei ou até mesmo pelas intrigas e mentiras da corte, a verdade é que todo o livro é acontecimento atrás de acontecimento. Não temos um momento monótono ao logo da narrativa, pelo contrário, cheguei a um ponto que só queria que tudo se acalmasse, mas não, a autora traz outra reviravolta que deixa o leitor de boca aberta. Todo o desenvolvimento está tão bem planeado que não conseguimos parar e só queremos chegar ao final o mais rápido possível.

Um mundo incrível, uma escrita exemplar e uma trama que prende do início ao fim, não podia pedir mais. O final deixa-nos completamente chocados e eu preciso urgentemente do terceiro livro e espero que a editora publique o mais rápido possível porque eu preciso urgentemente de saber o que vai acontecer a estas personagens, ninguém merece ficar assim com aquele final. Eu estou completamente viciada nesta série, se gostam de uma fantasia que coloque ação, intrigas, um mundo super bem desenvolvido, personagens muito interessantes, reviravoltas inesperadas e um romance diferente, então esta é a série ideal, acreditem que não sabem o que andam a perder.

Leitura com o apoio:

26/03/2021

Opinião | "Consentimento" de Vanessa Springora

 


Assim que vi a premissa deste livro eu sabia que tinha que ler. Tinha a certeza que seria forte e revoltante, mas não esperava ter tantos sentimentos diferentes. O pior é saber que realmente tudo isto aconteceu e que ainda hoje existem pessoas que "valorizam" as obras deste homem. Antes de mais tenho que dar os parabéns, a autora teve uma coragem enorme para ter escrito e publicado este livro, o homem em questão é da área e felizmente ela conseguiu contar tudo, o que deveria ter acontecido muitos anos atrás. 

Neste livro vamos conhecer a história da Vanessa através das suas memórias e tudo o que ela passou na adolescência. Com apenas 14 anos, esta jovem é levada a iniciar uma relação com um homem bem mais velho, este é um escritor famoso e onde todos diziam que era um privilégio estar ao lado dele. Vanessa era uma criança e até a própria mãe aceita este relacionamento apenas porque este homem é conhecido e valorizado no meio. Ao longo da narrativa vamos conhecer em promenor  como tudo começou, como a Vanessa lidou com a situação, os traumas que esta relação deixou e as consequências deste ato. 

Pelo olhar de uma jovem, esta história é contada de uma forma brilhante mas angustiante e até certo ponto bastante desconfortável, de uma manipulação extrema. Sem dúvida o que me meteu mais impressão foi o quanto a mãe e o pai desta jovem não fizeram nada. A mãe aceitou e até numa parte em que a Vanessa quis acabar com a relação a mãe acusou-a de não dar valor, como assim? O pai ainda fica chocado, mas depois vê como um motivo para se afastar e ainda acusa-a do que fez. Ela tinha apenas 14 anos, os pais é que tinham que lidar com a situação, os pais é que tinham que acabar com tudo e principalmente explica que não era certo, afinal de contas a Vanessa era apenas um criança que queria atenção e deixou-se levar por este homem esqueroso. Os pais dela em vez de a ajudarem, ainda fizeram pior.

Infelizmente isto era algo comum, artistas famosos cometiam crimes e não eram julgados, pelo contrário, até eram aplaudidos. Neste caso, este escritor famoso utilizava os seus crimes com menores e publicava todos os pormenores nos seus livros. Ainda pergunto-me como assim ninguém dizia nada? Pessoas importantes liam os seus livros, estavam no mesmo meio que ele, viam-no com menores e sabiam perfeitamente que tudo o que escrevia era atos praticados pelo próprio, mas ninguém dizia nada e até achavam normal. É completamente revoltante e incompreensível. Um pedófilo a ser aplaudido por uma comunidade inteira (e até mesmo um país), em vez de estar na cadeia a pagar por tudo o que fez.

Tive tantos sentimentos ao longo deste livro, a forma como a Vanessa relata os acontecimentos é incrível. Facilmente consegui conectar-me com ela e desde o início eu sabia que era errado, mas a forma como ela escreve, em certos pontos eu compreendia o que ela sentiu. É triste ver como uma jovem foi manipulada desta forma por um homem como este, mas pior é saber que ainda hoje existem crianças que não têm amigos e em casa não têm o amor suficiente e homens deste tipo aproveitam-se da fragilidade delas para aliciarem e cometerem estes crimes. 

Pelo menos sabemos que esta pessoa vai ser julgada ainda este ano, não se pode calar sobre este assunto, é um crime horroroso e as crianças não têm culpa nenhuma. "Consentimento" é um livro incrivelmente duro, a autora conta tudo, talvez não seja um livro para todos, mas é muito importante. Um livro sensasional que dá revolta, ficamos angustiados e dá um certo nojo, pois sabemos que foi algo que realmente aconteceu. 

18/03/2021

Opinião | "Conquistar um Sedutor" de Nicole Jordan

 

Conquistar um Sedutor é o quarto volume da série Duelos de Sedução e novamente a autora conseguiu deixar-me completamente presa a esta história. Os três primeiros tinham sido muito bons e por isso iniciei esta leitura com altas expetativas e não me desiludiu, pelo contrário, fiquei apaixonada por estes personagens e não conseguia parar de ler, eu só queria saber como tudo iria terminar.

Aqui vamos conhecer a história da Eleanor (irmã do protagonista do primeiro livro), ela tem como pretendente um belo príncipe italiano, mas quando o seu ex-noivo, que a magoou anos antes reaparece, ela coloca em dúvida o que pretende para o seu futuro. Damon vai fazer de tudo para atrapalhar a relação da Eleanor com o italiano, ele sabe que aquele homem não é o certo para Eleanor e quando percebem que a paixão de antigamente está ainda mais forte, ambos não conseguem resistir um ao outro.

O livro é muito curtinho, lê-se bastante bem, mas o diferencial é as personagens tão interessantes e cativantes que temos ao longo do livro. A Eleanor é uma jovem que sofreu no passado e recusasse a que volte a acontecer o mesmo. Percebe que ela é que tem que decidir o que pretende para o seu futuro e é através de um livro bastante curioso (que vimos a ser desenvolvido nos livros anteriores) vai atrás do que acha melhor para si. O problema é que a razão e o coração, na maioria da vezes, não andam juntos e ela vê-se novamente presa ao homem que despreza e que a magoou no passado. Eu adorei a Eleanor, uma jovem que tem medo de magoar-se novamente e, ao mesmo tempo, não consegue esconder o que sente. Ela é incrível e amei conhecê-la.

O Damon é uma personagem que vamos conhecendo pouco a pouco, no início é misterioso e não sabemos muito bem o porquê das suas atitudes, mas quando mais vamos lendo, vamos entendê-lo. Ele tem um segredo que o atormenta já há alguns anos e é realmente triste. Os segredos e o que aconteceu no passado ainda influência muito o seu presente e é incrível ver como ele vai superando, a Eleanor vai ajudá-lo bastante neste aspeto e acreditem, é lindo ver estes "demónios" a ser combatidos. 

A autora também colocou um tema que é bastante raro ver em livros deste género. Infelizmente as doenças nesta época eram algo pouco conhecidas e gostei bastante de ver o que a autora desenvolveu nesta trama, incluindo toda a jornada do personagem do Damon durante os anos que esteve fora. O romance é tão bonito, ver como o que ambos sentiam anos atrás continua ainda tão presente e tão forte, é verdadeiramente notório o quanto estes dois são perfeitos juntos e o desenvolvimento deles é bastante inspirador. Afinal de contas eles já se conheciam, sendo assim não é um livro onde vão ver eles a apaixonarem-se, mas sim o desenvolvimento real de uma relação que tinha tudo para dar errado, mas que não conseguem ficar longe um do outro.

Nicole Jordan é incrível no que faz e mesmo numa série de livros pequenos consegue arrebatar qualquer leitor, a sua escrita é leve e envolvente o que torna impossível de parar de ler. Eu estou completamente rendida a esta série e mal posso esperar para ler o quinto livro, romance de época são tão bons, principalmente quando têm uma história tão linda e com tópicos inovadores como foi o caso deste livro.

Opinião dos livros anteriores:

Livro 1: Prisioneiros do Amor

Livro 2: Mestre da Sedução

Livro 3: Suave Conquista


Leitura com o apoio:

03/03/2021

Novidades TOPSELLER

Disponível a partir de 8 de março!

Sinopse: 1944, Checoslováquia. Na calada da noite, Izzy e Bill, uma camponesa checa e um prisioneiro de guerra britânico, casam-se em segredo e fogem através de aldeias devastadas pela guerra, com o sonho de construírem um futuro juntos, longe do jugo nazi. Para conseguirem escapar, Izzy veste-se de homem, corta o cabelo rente e faz-se passar por muda. Porém, a sua sorte não dura muito tempo, e eles acabam por ser capturados pelo exército alemão. 
Apesar disso, o disfarce de Izzy funciona. Ambos são considerados soldados fugitivos e transportados para um campo nazi de prisioneiros de guerra, onde irão enfrentar condições extremas. O campo está sobrelotado, não existe comida suficiente e o trabalho é demasiado duro. Mas, no meio das circunstâncias mais desumanas, surge a esperança, pois o jovem casal trava amizade com um pequeno grupo de prisioneiros. Esses homens tornam-se a sua nova família, e estão dispostos a arriscar as suas vidas para proteger Izzy. O perigo que correm é avassalador, pois, se o segredo de Izzy for revelado, ela e Bill — e os homens que decidem ajudá-los — enfrentarão a morte. 

Sinopse: É mais fácil conquistar o poder do que mantê-lo... 
Para proteger o irmão mais novo, Jude uniu-se ao príncipe cruel, Cardan, e tornou-se o poder por detrás do trono. Mas se a corte de Faerie é difícil de gerir, já Cardan revela-se completamente impossível de controlar. Enquanto rei, ele está determinado em humilhar Jude, mesmo que continue fascinado por ela. Um jogo de rivalidade, que se torna mais intenso e explosivo a cada dia do curto reinado de Cardan. 
Mas quando Jude acha que tem todas as peças na mão, alguém próximo a atraiçoa, ameaçando os seus elaborados planos para Faerie. 
Agora, ela precisa desesperadamente de manter Cardan no trono, por mais tempo do que o planeado e contra a vontade dele. Mas o novo rei tem outras ideias ao descobrir que o poder além de viciante... é perverso! 
E as fadas sabem-no muito bem! 
Com uma intriga de tirar o fôlego, magia e motivações sanguinárias, esta é a muito aguardada sequela de O Príncipe Cruel, que deixará os leitores rendidos à conspiração das fadas.

Sinopse: Estava fora de questão envolver-me com o meu patrão, por mais atraente que ele fosse… Despedida por conduta imprópria. Eu não podia acreditar na carta que tinha nas mãos. Nove anos. Nove malditos anos em que me matei a trabalhar para ser apresentadora do noticiário numa das maiores estações de televisão do país, para acabar despedida por carta depois de uma semana de férias. Tudo por causa de um vídeo na praia com as minhas amigas — um vídeo privado feito durante o meu tempo livre. Ou assim pensava eu… 
Furiosa, abri uma garrafa de vinho e escrevi um e-mail enraivecido ao diretor-geral, dizendo-lhe o que achava da empresa dele e das suas práticas. Não achei que ele fosse responder. Mas ele lá acabou por perceber que eu tinha sido enganada e conseguiu que eu tivesse o meu emprego de volta. 
Só que… não era apenas isso que o Grant Lexington queria fazer por mim. 
Ele podia ser estupidamente atraente, confiante e charmoso, mas eu não ia envolver-me com o chefe do chefe do meu chefe. Nem pensar! 
Só não esperava que algo tão errado fosse tão arrebatador!