13/05/2018

10 Dicas para a Feira do Livro de Lisboa

A 88ª edição da Feira do Livro de Lisboa está prestes a começar e por isso trago-vos algumas dicas que considero essenciais para aproveitarem na perfeição este evento que é tão aguardado pelos livrólicos.
Este ano, a feira irá decorrer entre os dias 25 de maio (sexta-feira) e 13 de junho (quarta-feira) no já conhecido Parque Eduardo VII.
Eu já vou a esta feira à alguns anos e já tenho algumas "manias" que gosto de forma a conseguir aproveitar bem este evento. Algumas eu fiz e correu super bem, outras foram coisas que não pensei antes e quando cheguei percebi o quanto era importante.
Eu gosto imenso desta feira, o ano passado penso que fui apenas dois ou três dias, mas em 2016 cheguei a ir quase todos os dias (nos anos anteriores ia sempre pelo menos duas vezes) e é algo que eu aprecio, afinal é uma ambiente rodeado de algo que eu amo: livros!

1 - Planear
O que eu aconselho em primeiro lugar é planearem, apontarem os livros que gostariam de comprar na feira, normalmente o que eu faço é a lista com o nome do livro, preço a que está no mercado e a editora. Depois aconselho a verem o mapa da feira, que está disponível no site uns dias antes, e verem o local onde se encontra as editoras dos respetivos livros e apontarem também na lista.
Ainda nesta lista apontem se os livros têm mais ou menos de 18 meses, porque se tiverem mais podem compra-los na Hora H (ver ponto 8) e também aconselho a apontarem se algum está como livro do dia e qual o dia (ver ponto 7).

2 - Transportes
Outro aspeto importante é pensarem na forma como vão para a Feira. Se quiserem apanharem transportes públicos é muito fácil. Têm o metro mesmo junto à feira (Linha Amarela e Linha Azul, Estação: Marquês de Pombal) ou se vierem da linha de Sintra podem simplesmente apanharem o comboio e saírem no Rossio, têm é que subir a Avenida da Liberdade, mas sinceramente não custa nada (ou apanharem o metro).
Se vierem de outros pontos podem ir de comboio até Sete Rios (linha azul) ou Entrecampos (linha amarela) e apanharem o metro até ao Marquês de Pombal.
Se pensarem irem de carro eu aviso já que pode ser um pouco complicado de estacionar. A única vez que levei o carro para lá foi para ir exclusivamente à Hora H e à noite é super tranquilo, como a partir das 19h já não se paga parquímetro, foi mais vantajoso e encontrei facilmente lugar junto à escola Maria Amália. Mas se forem à tarde ou ao fim-de-semana acreditem que vai ser muito complicado e aconselho a deixarem o carro, por exemplo, na Cidade Universitária (linha amarela) e apanharem o metro.

3 - Mochila 
Este foi um erro que cometi nos últimos dois anos. Eu sempre ia para a feira com uma lista enorme, mas dizia sempre para mim que não ia comprar nem metade, mas obviamente que isso é impossível. Principalmente no ano passado, já me doíam os braços de tantos sacos e arrependi-me imenso de não ter levado uma mochila.
Para quem só vai dar uma volta e só pensa comprar um ou dois livros, então não acho essencial, mas para quem passa o ano a poupar uns trocos para nesta altura "desgraçar-se" então é OBRIGATÓRIO levar mochila. Não digo para irem com uma mala de rodinhas como o nosso querido Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, fez o ano passado, mas pelo menos uma mochila vai facilitar-vos de terem imensos sacos nos braços. E acreditem, por experiência própria, não é nada bonito.

4 - Água e Comida
Na Feira a comida e as bebidas são caras, até um simples café tem um valor superior. Chama-se negócio e isso é completamente normal. Se quiserem poupar para poderem gastar em livros, então a minha dica é levarem muita água e umas sandes e bolachas para comerem no tempo que lá estiverem. Mas se isso não for o mais importante, na feira têm algumas comidas mais diferentes, são um pouco caras mas é uma escolha. Também têm sempre a possibilidade de irem ao Burguer King que é lá perto. Mas aconselho sempre a levarem água, normalmente o dia está quente e é muito importante.

5 - Cuidado com o Sol
Este foi outro erro meu. Sinceramente não pensei que estivesse tanto calor e mesmo tendo levado água e comprado lá, houve um dia que apanhei escaldão. A feira decorre ao ar livre e mesmo havendo várias sombras, o normal é ficarem no sol. Por isso, a minha dica é colocar protetor solar na cara e braços (pelo menos), levarem um chapéu/boné e um casaquinho fresco para protegerem do sol. Se estiverem algum tempo numa fila para um autógrafo, ou até mesmo para pagar, vão agradecer estas dicas.

6 - Eventos/Autógrafos 
Durante a feira do livro algumas editoras fazem sessões de autógrafos com escritores e é uma excelente oportunidade para terem os vossos livrinhos assinados. Para terem acesso a todos os eventos podem ir ao site que fica disponível alguns dias antes ou vão diretamente às redes sociais das editoras. Mas a dica que eu dou é para irem cedo, não vale a pena muito tempo antes, mas chegar cerca de 40/30 minutos antes é muito melhor do que em cima da hora. Um exemplo foi a sessão da Paula Hawkins do ano passado que muitas pessoas ficaram imenso tempo ao sol porque a fila era grande. Eu fui cedo e felizmente consegui ficar debaixo do toldo e foi tudo muito rápido, mas quem chegou mais tarde acredito que foi um autêntico horror, principalmente devido ao calor que estava nesse dia.

7 - Livro do Dia
Outra coisa boa para quem não pode esperar pela Hora H é ver quais os livros em cada editora que estão com desconto de Livro do Dia, normalmente o desconto é bastante bom e varia de dia para dia. Podem consultar estes "Livros do Dia" no site da feira e ver se no dia que lá vão está algum livro nesta promoção que vos interessa, ou até mesmo para escolher o dia que lá querem ir. Eu já comprei muitos livros nesta promoção e acreditem que vale a pena.

8 - Hora H
E agora aquela altura da feira que qualquer pessoa perde a cabeça: a HORA H. Infelizmente só o ano passado é que fui à Hora H e foi sem dúvida onde gastei mais dinheiro e tenho sim algumas dicas que reparei.
Primeiro têm que saber que a Hora H acontece das 22h até as 23h de segunda a quinta e é onde a maioria das editoras colocam os livros com mais de 18 meses com 50% de desconto. Mas atenção, algumas editoras colocam todo o catálogo com mais de 18 meses nesta promoção, outras fazem uma pequena seleção e outras nem sequer aderem a esta promoção. No caso da 20|20 Editora, o ano passou não aderiu à Hora H e este ano já divulgaram na página de facebook que vão aderir. Por isso a minha primeira dica sobre a Hora H é vão mais cedo e perguntem diretamente às editoras se são todos os livros com mais de 18 meses que entram nesta promoção, se é apenas uma seleção ou se não entram sequer, assim já sabem o que podem contar durante esta hora que passa a correr.
A segunda dica sobre a Hora H é que se quiserem algum livro do grupo Leya recomendo que comecem por lá e a melhor maneira é como eu fiz o ano passado que foi: cheguei as 21h, coloquei com calma no cesto todos os livros da Leya que eu queria comprar e as 21:40 fui para junto das caixas. Nesta hora já havia duas pessoas à minha frente e assim que bateu as 22h paguei logo e pronto, antes das 22:10 estava despachada da Leya. A Leya tem imensas chancelas e foi onde gastei mais dinheiro e vale a pena fazer isto porque quando eu sai vi uma fila gigantesca o que faz com que se tiverem azar fiquem na fila até as 23h e depois não podem utilizar o desconto.
Depois de sair da Leya eu fui a outras editoras e estava tudo muito calma, só a Porto Editora também tinha uma fila, mas nada comparado com a Leya. Por isso a minha dica é comecem pela Leya, vão mais cedo e antes das 22h metam-se na fila!

9 - Alfarrabistas
Na feira não existe apenas as editoras, também temos alguns alfarrabistas que se procurarem bem acreditem que vão encontrar livros bons a excelentes preços. Normalmente nos alfarrabistas são livros em segunda mão, mas a minha experiência diz que se dedicarem bem na busca vão encontrar livros completamente novos por um preço muito melhor. Estas "barraquinhas" sem dúvida são a minha perdição, eu até gosto de livros usados e consigo ficar horas ali a procurar o que eu quero de forma a conseguir o livro que eu quero pelo melhor preço. Mas atenção, não se deixem enganar, já cheguei a ver livros nos alfarrabistas que estavam ou mesmo preço, até cheguei a ver mais caro, do que estava a editora a vender (devido às promoções), por isso têm que pensar bem se vale a pena e ser esperto na hora de comprar.

10 - Conhecer novas Pessoas
Por último, o que eu mais gosto da feira do livro é que é possível conhecer novas pessoas que têm os mesmos gostos. Existem grupos no facebook que combinam encontros para falar sobre livros, mas até mesmo em alguma fila é ótimo para meter um pouco de conversa, afinal de contas todos estão ali pelo mesmo: os livros. Não fiquem com vergonha, se os vossos amigos não são muito fãs de literatura, este é o local ideal para conhecerem pessoas que gostam e não fiquem com medo de irem sozinhos, a feira encontram imensos amantes de livros tal como vocês, fora que o local tem bastante segurança e polícia, o que torna seguro (claro, estando sempre atento e não irem para os locais mais afastados, principalmente à noite, que devido às árvores pode não ser visível).

Estas foram as dicas que eu acho essenciais para quem vai à feira do livro, de resto só tenho a dizer para aproveitarem bem e fazerem boas comprinhas. 
Têm alguma outra dica? Deixem nos comentários que eu agradeço :D

10/05/2018

A LIVRARIA, nos cinemas em Junho

Baseado no livro A Livraria de Penelope Fitzgerald (Clube do Autor, 2016) chega a Portugal, na segunda quinzena de Junho, o filme que conta a história da luta de uma mulher na tentativa de abrir uma livraria numa pequena vila costeira.
Eu não li o livro, mas quando vi o trailer fiquei bastante curiosa, afinal fala de livros e da forma como esta mulher vai tentar levar a literatura a outras pessoas. Eu como eu apaixonada pelos livros já estou ansiosa para ver esta história e apaixonar-me pelo modo de vida da personagem que acredito que vai ser bem inspiradora.
Pela sinopse do livro e do trailer do filme parece-me que vai haver algumas diferenças de adaptação, mas isso é normal em qualquer filme que é baseado num livro e tenho a certeza que a mensagem principal vai lá estar. 
Para quem entende de cinema, este filme é dirigido pela cineasta catalã Isabel Coixet e promete ser bastante poético e sensível. Estou com altas expectativas e assim que assistir divulgo a minha opinião aqui no blogue!

O filme tem data prevista para 21 de Junho e conta com a participação de Emily Mortimer, Bill Nighy e Patricia Clarkson nos principais papéis.


Alguém já leu o livro? Ficaram curiosos com o filme?

07/05/2018

Opinião | "Só Uma Carícia" de Maya Banks

Título: Só Uma Carícia
Autor: de Maya Banks
ISBN: 9788491392507
Edição ou reimpressão: 01-2018
Editor: HARPER COLLINS
Idioma: Português
Dimensões: 157 x 231 x 21 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 317

Sinopse: Educada desde pequena numa seita religiosa, Jenna não teve contato com o mundo exterior; a única coisa que possui são vagos fragmentos que parecem pertencer a outra vida. Recordações a que se agarra quando os líderes da seita descobrem os seus poderes de cura… e a castigam. Anos de cativeiro e submissão, às ordens estritas da seita, converteram Jenna numa mulher tímida e dócil… ou isso é o que todos pensam. Na realidade, está à espera do melhor momento para fugir.
Quando uma assustada Jenna tenta roubar o todo-o-terreno de Isaac, a ira dele transforma-se num sentimento protetor pela bonita e magoada estranha. Mas, quando disparam em Isaac num tiroteio, ele tem a certeza de que o seu fim está próximo… até que Jenna lhe toca e cura as suas feridas.
Enquanto tenta protegê-la, ela nega-se a dizer-lhe qual é a natureza do perigo que a assombra e como o curou, mas Isaac está empenhado em ganhar a sua confiança… e o seu coração. Porque uma só carícia foi suficiente para saber que quer que Jenna seja sua… para sempre.

OPINIÃO:
Custa-me mais escrever sobre livros que eu realmente amei e este é um desses casos. A única coisa que me apetece dizer é "por favor leiam esta fabulosa série" e que ela é muito boa. Mas claro que dizer apenas isto não chega e vou já dizer para esquecerem as capas ou os géneros a que esta série está associada, porque primeiro: NÃO é um romance erótico, sim temos algumas cenas de sexo, mas verdade seja dita são apenas uma ou duas e nada de especial. Existem outros romances bem mais fortes, o que quero que os leitores que não conhecem esta série saibam é que é romance paranormal e não se assustem com o modo que a autora introduziu os poderes e tudo o que é "fora do normal", pois acreditem que está perfeito.

Neste livro conhecemos a Jenna, uma jovem que foi raptada quando era criança e cresceu numa seita. Jenna não é uma simples rapariga, ela tem poderes bastante especiais que essa seita usa em proveito próprio. Os anos passaram e pouco a pouco e mesmo ela tendo sido criada longe de tudo ela sempre soube que a forma como vivia não era correta e quando percebe que está prestes a ser vendida ela ganha coragem para finalmente fugir daquele local. Uma coisa ela tinha certeza, o que estaria fora daquele local não poderia ser pior do futuro que a reservava e é nesta fuga que se depara com o Isaac e a vida de ambos muda por completo.

Tal como nos livros anteriores, as personagens são maravilhosas. A Jenna é super inocente, ela não conhece o mundo, mas ao mesmo tempo tem uma força tão grande que me fez admirá-la imenso. O Isaac é um membro da Devereaux Security Services e quando se depara com esta jovem sempre um grande desejo de proteção por ela e vai fazer de tudo para a salvar.

A leitura deste livro é completamente alucinante, repleta de emoções diferentes, mas principalmente muita ação. Este pode já ser o quinto livro da série Slow Burn, mas acreditem que é tão forte e bom como o primeiro. A verdade é que todos os homens da Devereaux Security são fortes, destemidos e aparentam não terem muitas emoções, mas a verdade é que são grandes protetores e uns corações moles com as pessoas de quem amam, mas acima de tudo têm um política de honra enorme e sabem perfeitamente distinguir o que é certo do errado. Estes homens fazem de tudo para protegerem as pessoas que gostam e o Isaac é exatamente assim e após a Jenna o salvar ele sabe que vai fazer de tudo para que ela fique bem, mesmo que seja necessário por a sua via em risco por ela.

A história toda é bastante boa, mas para mim o melhor são as partes em que o Isaac tem a paciência de explicar à Jenna pequenas coisas do mundo, como por exemplo o que é uma televisão e como funciona. Todos os momentos entre os dois são fabulosos e mesmo no início o Isaac estar apreensivo a aproximar-se dela, afinal a Jenna nem sabia que idade tinha, percebemos logo a grande atração deles, mas acima de tudo todos os sentimentos de proteção que o Isaac tem pela Jenna.

Eu posso não ser a pessoa mais credível para falar sobre esta série, afinal de contas eu adoro a autora e desde o primeiro livro que eu fiquei completamente rendida a toda a equipa da Devereaux Security Services. Este é um romance intenso, recheado de ação desde as primeiras páginas e alguns imprevistos que dá um plus a esta história. Só Uma Carícia é ideal para quem gosta de um bom romance e de muita adrenalina e aventura pelo meio, acreditem esta série é fabulosa e este livro eu considero um dos melhores. Sem dúvida que Slow Burn é uma das minhas séries favoritas do momento e recomendo imenso!

Opinião dos livros anterior da série Slow Burn:

Leitura com o apoio:

04/05/2018

Opinião | "Marcada para Morrer" de Peter James

Título: Marcada para Morrer
Autor: Peter James
ISBN: 9789897244094
Edição ou reimpressão: 01-2018
Editor: Clube do Autor
Idioma: Português
Dimensões: 154 x 233 x 28 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 472

Sinopse: Se há livros capazes de suspender a respiração normal do leitor, este é um deles. Tal como a obra anterior de Peter James, Marcada para Morrer é um thriller que promete dar que falar (e noites sem dormir).
Escutou-a a gritar. Um grito aterrador. Depois, surgem os corpos assassinados, uns no passado e outros no presente. No final, a perversidade por trás destes crimes vai surpreendê-lo e arrepiá-lo.
Até que ponto um passado tortuoso é capaz de gerar uma mente monstruosa e vingativa? O que fazer quando o pior mal existe naqueles em quem mais confiamos?

OPINIÃO:
Este é o primeiro livro que leio do autor e só depois de o terminar e perceber que tinha algumas pontas soltas é que fui pesquisar e soube que este é o 11º livro de uma série. Relativamente ao caso em si não existe nada que impede que seja lido individualmente, o principal do livro é exatamente o caso e o que o detetive faz para desvenda-lo. Mas a história pessoal do detetive achei bastante interessante e como não li os anteriores ficou um pouco "no ar". Para quem quer um thriller/policial envolvente acredito que vai gostar imenso e pode sim ser lido individualmente, mas quem ficou curioso com a vida do detetive vai ter necessidade de ler mais sobre o que aconteceu no passado, dá sim para entender mais ou menos o que aconteceu para chegar até a este ponto e por isso acho sim que dá para ser lido sozinho.

Tudo começa quando uma mulher é raptada enquanto está ao telemóvel com o noivo e ele apenas ouve um grito e depois um silêncio total. Tudo é muito suspeito, o próprio noivo é suspeito, mas a cada nova página vamos perceber que nada é o que parece. As primeiras páginas são bastante marcantes e o detetive só aparece capítulos a frente, mostrando ao leitor várias perspetivas da narrativa. Desde o momento exato do rapto, à chamada feita pelo noivo à polícia, a organização da equipa da investigação, também temos capítulos dedicados à vítima, mostrando o que lhe está a acontecer. Mas aquilo que sem dúvida mais gostei foram os capítulos, que admito que achei um pouco estranhos no início, mas que ao longo da leitura percebi o quanto a mente era tão distorcida, dando a perceber ao leitor alguns pontos importantes.

Eu gostei imenso do caso, achei o inspetor Roy Grace bastante inteligente e a equipa é bastante dinâmica. A forma como a investigação é feita é bastante interessante, o que agradou-me imenso, mas sinceramente acho que faltou algo relativamente à história de Grace, o que acho que deve-se a este ser o 11º livro da série. Gostaria imenso saber toda a história que está por detrás da ex-mulher dele, isto é algo que ainda não é explicado exatamente, mas devido aos capítulos que são narrados por outras personagens, acredito que nos livros anteriores tenhamos mais informações sobre este assunto. O outro aspeto que gostei foi sabermos a versão de vários personagens, achei que neste livro foi inteligente e o autor apenas dava algumas pistas mas não desvendava tudo, o que fazia com que a história ficasse cada vez mais interessante.

Marcada para Morrer é um livro bastante intenso que prendeu-me do início ao fim. A história por detrás do caso é bastante curiosa e o leitor vai ficar preso até ao final para saber o que realmente está a acontecer. Para quem gosta do género vai adorar, mas também recomendo para quem se quer iniciar nele, pois é bem escrito e prende o leitor. 

Leitura com o apoio: