19/03/2019

Opinião | "A Sedução de Wilde" de Eloisa James

Título: A Sedução de Wilde
Autor: Eloisa James
ISBN: 9789898917638
Edição ou reimpressão: 02-2019
Editor: TopSeller
Idioma: Português
Dimensões: 150 x 228 x 25 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 368

Sinopse: Lorde Rolan Northbridge Wilde, mais conhecido por North, deixou Inglaterra para combater nas colónias depois de ter sido abandonado pela sua noiva, Diana Belgrave. Ao regressar a casa dois anos depois, descobre que Diana está a trabalhar como precetora no castelo da sua família e que trouxe consigo uma criança que todos pensam ser dele.
Diana nunca teve intenção de manchar a reputação de North, mas, desesperada por salvar uma criança indefesa, não pensou nas consequências de trabalhar naquele castelo. Agora todos tiraram as piores conclusões, e Diana lamenta a sua decisão.
Quando Diana percebe que North ainda gosta dela, tem de lutar para não o voltar a magoar, pois continua a não ter intenção de casar. Só que North regressou da guerra mais forte e está determinado a vencer esta batalha. North deseja Diana. Mas será que é capaz de arriscar tudo para reclamá-la como sua?

OPINIÃO:
Após ler o primeiro livro desta série eu sabia que esta série seria bastante interessante e que iria querer ler todos os livros desta autora. Assim que este livro foi anunciado a sinopse cativou-me imenso e quis logo ler, tinha a certeza que eu ia adorar. E foi exatamente isso que aconteceu, eu fiquei presa do início ao fim e fiquei completamente apaixonada pelos personagens. A autora trouxe uma história envolvente e divertida que faz com que o leitor fique animado com o que vai acontecer nas páginas seguintes.

A premissa do livro até poderia ser bastante simples, temos a Diana, uma jovem que tinham a sua vida programa e estava prestes a casar-se com um lorde, mas é obrigada a fugir para proteger quem ama. North é o Lorde com quem Diana ia casar e após a sua fuga decide combater nas colónias, mas quando chega dois anos depois depara-se com Diana a trabalhar na sua casa e ainda com uma criança que todos pensam ser sua.

A sinopse cativou-me imenso porque eu queria saber a história por detrás da sua fuga e principalmente o que a fez ir trabalhar naquele castelo. E sim, posso já dizer que a maior parte da história é super divertida, mas também temos uma carga emocional muito forte, a história de Diana é bastante triste e tudo o que o North passou durante a guerra também o mudou completamente. Neste livro vemos duas pessoas com um passado que têm que aprender a superar tudo o que aconteceu e a confiarem um no outro. É uma história intensa neste aspeto, mas por outro lado temos um laço familiar super divertido que dá ao livro um ar mais leve e que deixa o leitor com um sorriso na cara diversas vezes.

Os personagens são maravilhosos. A Diana é uma mulher muito forte que fez de tudo para conseguir o melhor de quem ama. Ela poderia ter tudo, incluindo já estar casada com um Lorde, mas ela está de luto, a verdade é que não pensava com clareza e foge pensando que é o melhor para proteger quem ela mais ama. Para isso ela trabalhou para conseguir alimento, roupa e teto. É sem dúvida uma personagem bastante diferente, ela passa de uma rapariga da sociedade para uma mulher da classe trabalhadora e ela não tem qualquer problema com isso, pelo contrário, ela sente muito orgulho. Isso foi o que mais cativou-me nela, a sua independência e a forma como ela pensava, sem dúvida uma personagem muito forte. Claro que havia momentos que ela não pensava bem nas consequências, fruto de pensar que ninguém tem um bom coração e que ia aceitá-la como ela é.

Já o North eu admito que no início não gostei muito dele, ele deixou a Diana fugir dele sem tentar ouvir o seu lado, a verdade é que nem tudo o que os olha vêm é a verdade e temos que perceber o que está a acontecer. O North decidiu tirar conclusões precipitadas em vez de obrigar a Diana a falar com ele. Acredito que se ele tivesse tomado uma atitude diferente ela não teria que passar por tudo o que passou. Já no presente, após a guerra, ele tornou-se um homem muito diferente, a verdade é que tudo o que ele passou mudou-o e vez com que ele desse mais importância ao que ele queria. Quando ele reencontra Diana percebe que toda a atração do passado continua lá e quanto mais a conhece, maior se torna esse sentimento. O North é um homem bastante intenso e que luta por aquilo que quer e é maravilhoso de se ler neste romance.

O que mais gostei neste romance foi a forma como a Diana lutou por aquilo que acreditava, mesmo que para isso tivesse que trabalhar no duro. A Diana não estava interessada no que era mais fácil, pelo contrário, ela queria apenas aquilo que tinha direito pelo seu trabalho. Outro aspeto que gostei imenso foi o romance, percebemos logo no início que no passado o North tinha uma enorme atração pela Diana, mas a verdade é que ele não conhecia a verdadeira Diana, tal como ela não conhecia a verdadeira personalidade do North. Ao longo da história ambos vão conhecendo um ao outro sem as preocupações da sociedade, quando estão juntos podem ser eles mesmos, afinal a Diana não estava preocupada com o que ele ia achar dela. A verdade é que não era o objetivo dela casar com ele, já o North mudou tanto após a guerra que já não é o mesmo e mudou bastante devido ao que passou. O desenvolvimento deste romance é lindo porque pensamos que eles se conhecem, afinal tiveram noivos, mas devido a todas as regras que a sociedade impõe, eles nunca puderam ser eles mesmo.

A escrita da Eloisa James é bastante envolvente. Este é daquele tipo de livros que sei que leio rapidamente, temos aqui uma leitura rápida e divertida que faz com não consigamos parar. Assim que o iniciei só conseguia pensar em como é que tudo iria terminar e queria ler mais e mais até chegar ao final. Como muitos livros deste género, este não é uma continuação direta do primeiro e claro que pode ser lido independente, mas quem não leu o primeiro vai apanhar alguns spoilers e até pode não compreender uma ou outra coisa, por isso recomendo sim que leiam o anterior antes deste. Afinal ambos são maravilhosos e acreditem que vale sim a pena conhecerem esta série. São ambos leituras bastante rápidas, divertidas e muito românticas que vai apaixonar qualquer leitor!

Opinião do livro anterior:

Leitura com o apoio:

13/02/2019

Opinião | "Prometo Não Te Seduzir" de Tessa Dare

Título: Prometo Não Te Seduzir
Autor: Tessa Dare
ISBN: 9789898917645
Edição ou reimpressão: 02-2019
Editor: TopSeller
Idioma: Português
Dimensões: 151 x 228 x 20 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 304

Sinopse: Ele tem sido um grande libertino…
Depois de perder o seu sustento, Alexandra Mountbatten assume um cargo impossível: transformar duas órfãs rebeldes em damas autênticas. No entanto, não é de disciplina que as crianças precisam. Elas precisam de um lar com amor.
Mas como irá Alexandra convencer disso o guardião delas, Chase Reynaud?
Chase é herdeiro do duque e um verdadeiro demónio no que toca a assuntos amorosos. Várias senhoras de Londres tentaram fazê-lo assentar, mas falharam redondamente.
Agora uma precetora vai dar-lhe uma lição.
Como qualquer libertino que se preze, Chase vive de acordo com uma regra: não se apaixonar. Quando uma precetora obstinada tenta corrigir o seu comportamento, Chase decide provar-lhe que não pode ser domado.
Contudo, Alexandra é inteligente, perspicaz e apaixonante, excedendo as expetativas de Chase. E recusa-se a vê-lo como uma causa perdida, sentindo que deve alcançar o coração dele.
Mas conseguirá ela proteger o seu?


OPINIÃO:
Tessa Dare é aquela autora ideal para uma leitura rápida que vai prender logo desde o início e este não foi diferente, foi fantástico e adorei cada capítulo. Eu adorei bastante este livro, alguns aspetos são sim bastante idênticos a muitos outros e sabemos como vai terminar, mas eu adoro estes livros assim e o que realmente importa é o desenvolvimento da história e ler como tudo vai terminar. Nesta história não só temos protagonistas fantásticos, mas algo bastante diferente é que temos duas crianças como personagens secundárias que rapidamente vêm para primeiro plano e que passam a ser o tema mais importante ao longo desta trama.

Prometo Não Te Seduzir traz-nos a história da Alexandra, uma jovem que trabalha para sobreviver, numa visita a um cliente, recebe uma proposta de ajudar a ensinar duas crianças a saberem estar na sociedade. No início Alexandra não aceita, mas quando perde o seu principal equipamento do seu trabalho, vê-se sem condições de continuar a fazer o seu trabalho e com isso sabe que não terá sustento, assim aceita a proposta do duque. Claro que este novo trabalho não vai ser fácil, Alexandra rapidamente percebe o porquê do duque estar tão ansioso para arranjar uma nova candidata ao cargo e tem um grande trabalho a lidar as meninas. Fora isso, ela e o duque desde o primeiro contacto que têm uma atracão gigantesca que só vai aumentando de dia para dia.

Alex é uma personagem bastante forte, afinal de contas ela só depende dela mesma e ao contrário de outros livros deste género, ela pertence à classe mais baixa e por isso tem que trabalhar para poder ter o básico. Além disso, esta personagem também é super meiga e doce que após conhecermos o passado dela até pode parecer que não faz sentido, mas pelo contrário, só faz admirar ainda mais esta personagem. Já o Chase, admito que no início foi difícil gostar dele, não era nada bonito ver o que ele queria fazer com o seu futuro. Mas ao longo do livro ele próprio vai mudando e comecei a percebe-lo melhor, o seu passado também influencia um pouco a história, mas até posso dizer que no inicio fiquei um pouco desiludida, rapidamente mudei de ideias quando percebi o principal ponto deste romance. Realmente não era necessário um grande drama na história do personagem masculino quando temos uma personagem feminina com um passado tão interessante e diferente e duas crianças que são o plano principal.

O aspeto que mais gostei deste livro foi a forma divertida como a autora retratou estas duas crianças. Fartei-me de rir com todas as partidas que faziam e cada nova era mais divertida que a outra. A Alexandra e o Chase ambos têm um passado, mas esta duas crianças foi a história mais intensa, as atitudes delas têm uma explicação e é bastante triste, cheguei ao ponto de querer matar o Chase e apenas entrar no livro e abraçar estas duas personagens tão queridas. A mais velha é super protetora com a irmã mais nova e apenas quer o melhor para ela, claro que o que ela faz não é o melhor, mas é apenas uma criança que quer ser amada e quando percebemos a história delas apenas queremos acarinhar e percebemos. Fora as ideias malucas que a Alex tem para as fazer estudar faz com que o leitor farte-se de rir e olha que a autora foi bem criativa, afinal existe formas diferentes para ensinar uma criança e o estudo até pode ser divertido e aqui temos exatamente isso. As ideias da Alexandra eram fantásticas e as crianças pensavam que estavam a brincar e quando menos percebiam estavam a estudar.

O romance em si dos personagens principais não é propriamente novo, mas aquilo que faz com que este livro seja maravilhoso são estas duas crianças. Elas são maravilhosas e é realmente o foco principal. A relação entre a Alexandra e o Chase é muito bonita, é intensa e a história de ambos só faz com que torcemos ainda mais pelos dois. Depois temos a relação dos dois com as crianças e ao longo da história vemos o quanto a relação dos quatro vai evoluindo e é simplesmente lindo de se ler. Outro aspeto que achei curioso foi a própria Alex, a autora conseguiu trazer um aspeto novo que acho que nunca tinha lido em nenhum outro livro do género e foi bastante criativo e interessante.

A história é muito bonita, o plano familiar e a forma como ultrapassam problemas do passado é o que torna este livro tão interessante. A escrita da autora eu já conheço à alguns livros e como tal eu já sabia que seria super cativante, é aquele tipo de escrita que é fácil, mas ao mesmo tempo traz todos os pormenores necessários, focando no que é mais importante. Este é aquele livro romântico, fofinho e que vai deixar um sorriso enorme no rosto, ideal para quem precisa de ler algo divertido, com um toque intenso e sensual. 

Opinião do livro anterior desta série:

Leitura com o apoio:

29/01/2019

Opinião | "Vox" de Christina Dalcher

Título: Vox
Autor: Christina Dalcher
ISBN: 9789898917584
Edição ou reimpressão: 02-2019
Editor: TopSeller
Idioma: Português
Dimensões: 150 x 230 x 21 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 304

Sinopse: E se cada mulher só tivesse direito a 100 palavras por dia?
Estados Unidos da América. Um país orgulhoso de ser a pátria da liberdade e que faz disso bandeira. É por isso que tantas mulheres, como a Dra. Jean McClellan, nunca acreditaram que essas liberdades lhes pudessem ser retiradas. Nem as palavras dos políticos nem os avisos dos críticos as preparavam para isso. Pensavam: «Não. Isso aqui não pode acontecer.»
Mas aconteceu. Os americanos foram às urnas e escolheram um demagogo. Um homem que, à frente do governo, decretou que as mulheres não podem dizer mais do que 100 palavras por dia. Até as crianças. Até a filha de Jean, Sonia. Cada palavra a mais é recompensada com um choque elétrico, cortesia de uma pulseira obrigatória.
E isto é apenas o início.

OPINIÃO:
Quando este livro chegou fiquei bastante curiosa para saber que mundo era este que a autora criou onde as mulheres apenas podem falar 100 palavras por dia. Comecei este livro sem grandes expectativas, já tinha ouvido falar dele quando foi lançado lá fora mas não tinha pesquisado muito sobre ele. A verdade é que assim que o comecei percebi logo que seria uma leitura difícil devido ao tema que retrata e admito que tive que parar algumas vezes ao longo da leitura. Mas quando cheguei ao final fiquei super contente por o ter lido, tem uma mensagem tão poderosa e importante que acredito que tem que ser lido e discutido.

Vox conta a história, num futuro próximo nos EUA, onde foi eleito um governo completamente conservador onde todas as mulheres (e todas as pessoas que não são consideraras como "puros") perderam todos os seus direitos. Neste futuro próximo as mulheres só podem falar no máximo 100 palavras por dia, não podem trabalhar, todos os seus estudos são apenas sobre actividades domésticas e têm que obedecer ao homem (pai ou marido). Esta é a história de Jean, uma mulher que hoje vive para a sua família, mas ela era a melhor da sua área e quando é necessário a melhor o governo tem que abrir mãos do preconceito e aceitar que ela é a ideal para o cargo. É aqui que Jean vê-se na possibilidade de lutar pelos seus direitos e pelos daqueles que não eram "puros".

Ao longo da leitura deste livro tive uma mistura de sentimentos. No início eu senti-me bastante mal ao ler tudo o que os homens diziam sobre as mulheres, posso dizer que fiquei bastante revoltada com todas as descrições, mas pior ainda era o que estavam a ensinar às crianças nas escolas, isso para mim era o que mais me irritava. Não digo isto num modo negativo, pelo contrário, a autora ter conseguido estes sentimentos tão profundos e poderosos em mim ao ponto de ter que parar a leitura foi sensacional, só mostra o quanto a autora sabe exprimir na perfeição aquilo que pretende mostrar. O mais assustador de tudo é que a autora pegou em factos verídicos e ideais controversos que podemos ver pelo mundo e levou as consequências ao extremo, mostrando assim como seria se algumas dessas ideias sempre vingassem.

Infelizmente vivemos num mundo em que em alguns países a mulher ainda tem um papel inferior e perguntei-me muitas vezes como elas aguentavam e, outro aspeto que gostei imenso, foi que Christina Dalcher conseguiu mostrar exatamente isso. Quando habituamos-nos a alguma coisa, começa a ser "normal" e o que é diferente é que é o estranho. Em Vox temos o exemplo da filha da protagonista, ela é uma criança e devido ao último ano a ser ensinada de uma certa forma ela acredita e quando pode alterar isso ela própria fica reticente à mudança. 

Fora todas as temáticas positivas apresentadas antes, o livro ainda é escrito na primeira pessoa, o que o torna ainda mais assustador, pois compreendemos todos os conflitos da personagem como mulher e como mãe, tornando assim a leitura ainda mais cativante. Os capítulos rápidos e curtos também ajudam a que a leitura seja mais dinâmica e que seja terminado rapidamente, mas o que ajuda ainda mais a ler este livro é querer saber como tudo vai terminar. Este futuro que a autora criou é tão assustador que queremos perceber qual a solução para ele, queremos saber como todas as pessoas que não são consideradas "puras" vão conseguir combater este governo.

Vox é um livro que retrata temas bastante pesados mas atuais, chega a um ponto a que senti-me "presa", é claustrofóbico, o país está fechado aos restantes e as mulheres não têm para onde fugir. Esta história marcou-me como à muito uma outra não fazia, a história é forte, a escrita é perfeita e envolvente, mas principalmente é algo que tem que ser discutido para que nada idêntico, e quando digo isso é qualquer tipo de pressão conservadora, nunca seja implementado. É uma distopia bastante diferente mas que choca e toca na ferida "sem dó nem piedade" do leitor e faz refletir e questionar vários pensamentos e ideias que ouvimos diariamente.

Leitura com o apoio:

15/01/2019

Opinião | "Sangue e Fogo - Volume 1 - Parte 1" de George R. R. Martin

Título: Sangue e Fogo - Volume 1 - Parte 1
Autor: George R. R. Martin
ISBN: 9789897731365
Edição ou reimpressão: 11-2018
Editor: Saída de Emergência
Idioma: Português
Dimensões: 158 x 229 x 21 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 352

Sinopse: A emocionante história dos Targaryen ganha vida neste trabalho magistral do autor de As Crónicas de Gelo e Fogo.
Séculos antes dos acontecimentos de A Guerra dos Tronos, a Casa Targaryen – a única família de senhores dos dragões a sobreviver à Perdição de Valíria – fez de Pedra do Dragão a sua residência. Sangue e Fogo inicia a sua narração com a história do lendário Aegon, o Conquistador, criador do Trono de Ferro, e prossegue com o relato das gerações de Targaryen que lutaram para manter o icónico trono, até à guerra civil que praticamente destruiu esta dinastia.
O que aconteceu realmente durante a Dança dos Dragões? Porque se tornou tão perigoso visitar Valíria depois da Perdição? Qual a origem dos três ovos de dragão de Daenerys? Estas são apenas algumas questões a que esta obra essencial dá resposta pela mão de um reconhecido meistre da Cidadela e das trinta e quatro ilustrações a preto e branco.
Sangue e Fogo apresenta pela primeira vez o relato completo da dinastia Targaryen, permitindo uma compreensão perfeita da fascinante, dinâmica e por vezes sangrenta história de Westeros.

OPINIÃO:
Quando este livro foi anunciado eu sabia que queria ler, mas iniciei a leitura com bastante medo, pensava que fosse uma leitura complicada e bastante descritiva, mas assim que iniciei percebi que não era nada assim e fiquei completamente rendida por esta história.
Eu adoro o mundo que o autor criou e sem dúvida que os Targaryen são a minha família favorita e sempre tive curiosidade para saber como tudo começou e é exatamente isso que este livro traz. Este livro começa 300 anos antes da história principal e leva-nos numa viagem surpreendente ao longo de batalhas, conquistas e intrigas,

Nesta primeira parte, conhecemos a história de como o Aegon I conquistou Westeros, como foi o seu reinado, todas as dificuldades que ele teve e a grande alteração aos casamentos dos Targaryen que Aegon I fez que vai influenciar no futuro. Depois temos o reinado dos seus filhos (e todas as confusões que aconteceram entre os dois filhos) e posteriormente o reinado do seu neto. É uma história puramente de factos históricos e não tanto de descrições, o que faz com que seja algo mais rápido e direto aos acontecimentos.

No final desta leitura percebi que nesta primeira parte existe dois grandes tópicos que pode influenciar bastante a opinião dos leitores. O primeiro é uma parte mais de guerra, conquistas e intrigas que vai desde a história do Aegon I quando este chega a Westeros e também toda a história entre os seus dois filhos, o Aenys I e o Maegor I. Esta primeira parte é aquilo que estamos habituados a George R. R. Martin e admito que custou-me um pouco a passar estas página, mas é sim essencial e faz com que a história seguinte seja tão emocionante. A segunda parte, e talvez a que eu acho que alguns leitores podem não gostar tanto, mas que para mim foi a minha favorita é a história do Jaehaerys I e da Alysanne (netos do Aegon I), que tem mais romance e emociona muito mais do que a primeira.


Como já disse, o que mais gostei foi da história do Jaehaerys I e da Alysanne, porque sinceramente não estava à espera que o autor criasse uma história de amor tão bonita. Claro que estamos a falar de George R. R. Martin e não é um romance cor-de-rosa, bem longe disso, chorei horrores com tudo o que eles passam durante todos os anos que estiveram vivos, é sim uma história de amor, mas também uma carga emocional e dramática muito pesada. Quando cheguei ao final da história deste casal eu só pensava que nenhuma mãe deveria passar pelo que ela passou, mas bem visto as coisas até é normal, sabemos que filhos de irmãos podem nascer com doenças (devido aos genes) e claro que isso está bem explicito e gostei muito, foi um pouco de "realidade" no meio de toda a fantasia desta história.

Outro aspeto que eu também adorei é que ficamos a conhecer algumas curiosidades sobre esta família que sinceramente não tinha nem ideia e também descobrimos uns pontos importantes que vão interligar à história principal. Eu gostei bastante disto porque ficamos a conhecer cada vez mais este mundo e percebemos que realmente este autor é genial e nada do que ele escreve é por acaso. Um desses exemplos é que sempre tive curiosidade sobre os ovos de dragão da Daenerys, e neste livro descobrimos a sua origem e é simplesmente brutal.


Eu pensava que seria uma leitura difícil, mas surpreendentemente é bastante fácil e rápido. Quando percebemos estamos presos à narrativa e só queremos saber o que aconteceu. Talvez a facilidade na leitura seja porque isto é como se fosse um livro de história, aqui não temos os pensamentos dos personagens, apenas está o que se conhece, o que as pessoas viram e quando não se sabe como aconteceu, o próprio autor diz que como não existe factos históricos a comprovar não se pode saber ao certo se aconteceu realmente daquela maneira. Esta última parte é bastante curiosa, porque é como se este livro fosse mesmo a história dos Reis Targaryen e tivéssemos a estudar tudo o que aconteceu, tornando bastante interessante, uma vez que a escrita do autor é mais de factos e não tanto de descrição, tornando assim a leitura muito envolvente.
Recomendo imenso que leiam este livro, para quem é fã da família Targaryen vai amar e emocionar com todos os acontecimentos, para quem não liga muito para esta família, mas é completamente louco por este mundo do autor, acreditem que vai aprender imenso e vão descobrir novidades que vos vão deixar de boca aberta. Leiam Sangue e Fogo e fiquem tão surpreendidos com eu fiquei.

Leitura com o apoio: