20/03/2016

Novidades | Porto Editora

Sinopse: Depois de ter perdido a corrida para o lugar de procurador distrital, Mickey Haller, advogado de defesa em Los Angeles, antevê o fim da sua carreira. A relação com a sua ex-mulher é cada vez mais distante e a filha de ambos recusa-se a falar com um pai que defende sempre o mau da fita. Mas quando recebe uma mensagem no telemóvel, «Liga-me depressa – 187», aludindo ao artigo do código penal da Califórnia que contém a definição de homicídio, Mickey não pensa duas vezes e aceita um caso que, espera, o trará de novo para os grandes palcos das salas de audiência. Rapidamente descobrirá que a vítima era uma antiga cliente sua, uma prostituta que em tempos defendera e julgara ter resgatado das ruas, naquele que será apenas o primeiro indício de um jogo de sombras entre a DEA e o mais temível dos cartéis mexicanos: o de Sinaloa.

Sinopse: Olhar o mundo a partir da cultura e a cultura a partir do mundo – esta é a proposta que Jorge Barreto Xavier apresenta com a publicação de A cultura na vida de todos os dias, que chegará às livrarias nos primeiros dias de abril.
Com prefácio de Guilherme D’Oliveira Martins, este livro reúne um conjunto alargado de textos que refletem o percurso do fundador do Clube Português de Artes e Ideias, a sua experiência, as suas ideias e convicções, abordando os mais diversos temas relacionados com a Cultura e que se encontram organizados em duas partes – antes (2004-2011) e durante o período em que foi membro do Governo com a tutela da Cultura, no XIX Governo Constitucional (2012-2015).
Para Jorge Barreto Xavier, “a cultura é um elemento-chave para a construção de um mundo melhor para todos e não só para alguns”, pelo que este livro procura contribuir para a demonstração de como a cultura é um elemento essencial na vida de todos os dias.

Sinopse: No dia 23 de março, assinala-se um ano da morte de Herberto Helder e é precisamente nesse dia que a Porto Editora publica Letra Aberta. Este é um livro de poemas inéditos, recolhidos nos seus cadernos, e cuja edição é de tiragem única, de acordo com o que sempre foi a vontade do autor. Não se trata da edição crítica que a obra inédita de Herberto Helder merece e que certamente será publicada no futuro, agora que o seu espólio está a ser integralmente digitalizado. Letra Aberta é uma escolha realizada pela viúva do poeta, que nos permite uma primeira abordagem à riquíssima «oficina» a partir da qual o poeta foi construindo o seu «poema contínuo».
Novidades:

Sem comentários:

Publicar um comentário

Aqui podem deixar todos os comentários e prometo que responderei o mais rápido possível.

Comentários que não são construtivos não serão aceites.