21/05/2017

Opinião | "Se Eu Fosse Tua" de Meredith Russo

Título: Se Eu Fosse Tua
Autor: Meredith Russo
ISBN: 9789896652197
Edição ou reimpressão: 04-2017
Editor: Nuvem de Tinta
Idioma: Português
Dimensões: 149 x 228 x 18 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 264

Sinopse: Só porque tens um passado, não quer dizer que não possas ter um futuro.
Mudar de escola no último ano e ser a miúda nova do liceu nunca é fácil para ninguém. Amanda Hardy não é excepção: se quiser fazer amigos e sentir-se aceite, terá de baixar as defesas e deixar que os outros se aproximem. Mas como, quando guarda um segredo tão grande?
Uma história inspiradora e comovente que nos enche o coração e nos ensina que o amor mais verdadeiro e profundo nasce da coragem de sermos nós mesmos.

OPINIÃO:
Eu tinha ouvido falar super bem deste livro e devido ao tema eu queria lê-lo, mas a verdade é que eu não ia com nenhuma expectativa, não sei bem, mas achava que o livro não iria ser nada de especial, mas enganei-me profundamente. Quando iniciei a leitura percebi logo que era fantástico, cativou-me logo nas primeiras páginas e quanto mais lia, mais eu ficava apaixonada por esta personagem e pela sua grande história de vida .

Se Eu Fosse Tua conta-nos a história da Amanda, uma jovem que nunca se sentiu bem no seu corpo e logo viu-se numa luta para mudar. Quando consegue decide ir viver com o pai para começar numa nova cidade onde ninguém sabe o seu passado. Mas nada é fácil quando tem que se adaptar a uma nova escola, novos amigos, confiar nas pessoas, mas ainda mais complicado quando a sua relação com o pai não é nada fácil.

O livro trata um tema bastante forte, a Amanda é transgénero, até posso pensar que é spoiler dizer o tema principal porque na sinopse não diz, mas para mim é importante que o leitor inicie esta leitura já com o conhecimento do que retrata, afinal de contas foi exatamente por saber qual o tema que eu li este livro. Logo descobri que também a autora é uma mulher transgénero, mas não, não é uma biografia, a autora deixa muito claro que alguns aspetos foram sim inspirados na sua experiência, mas a história é puramente um romance e que a Amanda não é real, mostrando que cada pessoa é como é e os processos que uma pessoa transgénero passa também são diferente. Na minha opinião a autora quis criar algo em que as pessoas transgénero pudessem acreditar que tudo é possível, e para as pessoas cisgénero (não são trans)  pudessem ver o quanto complicado é todo este processo e para haver menos preconceito que infelizmente ainda existe.

A história em si eu achei bastante simples e até cliché, afinal de contas é a rapariga nova que começa a namorar com o rapaz popular e tudo se desenrola por aí, mas o que me fez gostar imenso deste livro e achar uma das melhores leituras deste ano até ao momento é a forma como a autora explorou as fraquezas do ser humano, afinal todos temos direitos a sermos quem somos realmente. No caso das pessoas transgénero têm que ter  a possibilidade de alterar isso de forma a se sentirem bem e principalmente serem felizes. Claro que todo este processo é bastante complicado, mas tem que ser discutido e temos que acabar com o preconceito, afinal de contas todas as pessoas têm o direito de serem felizes.

A Amanda é uma jovem que sofreu imenso, o livro não retrata apenas a transexualidade, mas também tudo o que vem daí, como preconceito, depressão, suicídio e problemas familiares. Todos estes temas devem-se a ela não se sentir bem com ela própria, todas as pessoas têm o direito de ser felizes e a Amanda não estava feliz antes. O livro retrata uma rapariga forte e determinada em ser aquilo que sempre soube que era, independentemente do que a família achava ou o que as outras pessoas diziam, o mais importante era ela se sentir ela mesma.

Outro aspeto que eu gostei, foi que a autora não se focou nas operações e todo o processo pelo qual a Amanda passou, afinal de contas é um romance, como tal não é um manual de mudança de sexo, logo compreendo perfeitamente que a autora tenha decidido criar uma história mais para o lado das relações humanas e de tudo o que a Amanda tem que passar, do que propriamente o processo em si, afinal isso é algo demasiado pessoal. Ao longo do livro temos sim as reações da Amanda a todo o processo, percebemos perfeitamente o tão complicado e complexo esta transformação é e o quanto ela sofreu, e não é preciso mais pormenores, para mim foi suficiente para entender todas as dificuldades desta jovem, que infelizmente nasceu no corpo errado.

O livro é sem dúvida uma lição de vida para muitos, não é uma história fácil, mas que tem que ser lida pelos jovens para não só compreenderem melhor o tema, mas também para perceberem que somos todos diferentes e temos o direito de ser quem queremos independentemente do que for. Sem dúvida é um livro bastante poderoso, escrito de uma forma bastante simples, mas que prende do início ao fim, levando o leitor a apaixonar-se por esta incrível personagem. Este é daqueles livros que após o terminamos sabemos que levamos com uma mensagem muito importante para a vida.

Em toda a opinião eu retratei sempre a Amanda no feminino, afinal de contas ela apenas estava presa num corpo de um rapaz, no seu entender ela sempre foi mulher, ela sempre se sentiu com uma mulher e como tal não tem lógica nem sequer falar do Andrew, afinal e contas ela sempre foi a Amanda.

Uma excelente leitura que recomendo a todos os jovens, mas também a pais e educadores, afinal de contas o tema é demasiado importante para não ser discutido! 

Opinião com o apoio:

Sem comentários:

Publicar um comentário

Aqui podem deixar todos os comentários e prometo que responderei o mais rápido possível.

Comentários que não são construtivos não serão aceites.