09/11/2016

Opinião | "Nunca Perdoar, Nunca Esquecer" de Chelsea Cain

Título: Nunca Perdoar, Nunca Esquecer
Autor: Chelsea Cain
ISBN: 9789896379865
Edição ou reimpressão: 07-2016
Editor: Saída de Emergência
Idioma: Português
Dimensões: 158 x 229 x 19 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 320

Sinopse: Kick Lanning, 21 anos, é uma sobrevivente. Raptada aos seis anos, a família, a polícia, bem como a comunidade, assumiram que o pior tinha acontecido. Mas é encontrada viva seis anos depois.
Submetida a toda uma série de terapias para a ajudar a superar o trauma, é só quando canaliza as suas forças e raiva para a luta que Lannigan se sente melhor. Aos 13 anos, começa a aprender todo o tipo de artes marciais e técnicas de luta, jurando que nunca mais voltará a ser vítima. Quando duas crianças desaparecem na área de Portland, Kick é abordada por um enigmático homem de nome Bishop que a convence de que a sua experiência e habilidades podem ajudar a salvar as vítimas. Mal sabe ela que o caso irá desvendar o seu próprio passado aterrorizador...

Opinião:
Quando comecei a ler este livro eu sabia pouco sobre ele, a própria sinopse  está bastante bem escrita porque não dá ao leitor pormenores que facilmente poderiam lá estar, o que faz com que a leitura tenha sido uma agradável surpresa. Uma das razões pelo qual eu quis ler este livro é que leio pouco deste género e quero conhecer mais policiais e trillers e decidi por um que achei que seria mais "light", mas quanto mais avançava na leitura, percebia que era tudo menos leve, mas isso só fez eu gostar ainda mais e ter aproveitado tanto esta leitura ao ponto que querer ler urgentemente outro deste género.

Em Nunca Perdoar, Nunca Esquecer conhecemos a  Kick, uma jovem que foi raptada aos seis anos e anos mais tarde é resgatada. Kick cresceu e amadureceu, mas as feridas do passado custam a sarar e uma das formas que ela aprendeu para conseguir escapar ao passado e saber defender-se bem e assim tornou-se perita em diferentes áreas, desde utilização de armas e luta corpo a corpo. Agora já adulta, depara-se com um homem misterioso que pede ajuda num caso de duas crianças desaparecidas que pode estar ligado ao seu passado.

Eu adorei o livro, principalmente porque ele fala sobre um tema bastante pesado de uma forma bastante aberta que não estava nada à espera. Ao longo da leitura pensava que aquilo que eu estava a ler não poderia ser o que realmente eu estava a interpretar, claro que não sou ingénua para pensar que existe pessoas capazes que ser maldosas a este ponto, principalmente com crianças, mas é sempre difícil lidar com a verdade, ainda por cima quando nos é mostrada de uma forma tão "nua e crua". A autora não poupa em detalhes, não se preocupa se o leitor se vai chocar, ela mostra tudo sem minimizar, o que faz com que seja tudo ainda mais real e perturbador, ainda mais quando sabemos que isto realmente existe nos dias de hoje.

As personagens são fantásticas, a Kick é uma mulher que passou por algo bastante perturbador e dia após dia ela não só tem que tentar ultrapassar isso tudo, mas também sente-se culpada por algo que foi "obrigada" a fazer que iria salvar outras crianças, mas infelizmente isso não aconteceu. Sem dúvida que ela é uma lutadora, porque depois de tudo o que passou, ela consegue ter forças para continuar a lutar por aquilo que acredita. No início a Kick pode ter algumas atitudes estranhas, mas ao longo do livro vamos descobrindo pormenores do seu passado e assim entender o porquê de ela ser assim, o que faz com que eu tenha gostado ainda mais dela. Também neste livro conhecemos o Bishop, um homem que no início é bastante misterioso e até de poucas palavras, mas admito que rapidamente me cativou, não sei explicar o porquê, até que nem no foi dado muito sobre este personagem, apenas que é um homem corajoso, forte e destemido que sabe o que quer e sabe como alcançar isso.

A história é forte, traz temas bastante atuais e pertinentes, que infelizmente existe no nosso dia-a-dia, este "terror" do livro não é fantasia, é real e infelizmente existe. É um livro que mostra o lado negro destas situações sem poupar, o que faz com que seja bastante psicológico. Eu adorei este livro, a Kick é uma rapariga que já passou por muito, mas a sua ânsia de dar o seu melhor vai fazer com que ela relembre o que lhe aconteceu e estas cenas eram das mais fortes e tristes de todo o livro, notou-se o quanto perturbada ela ficou e que ainda não ultrapassou o passado tal como pensava.

Cheguei ao fim deste livro a precisar de mais, tinha imensas perguntas que não foram respondidas que acredito que terão resposta no próximo livro, mas mesmo assim recomendo imenso, pois é uma história com uma dinâmica bastante rápida, cheia de ação, suspense e mistérios que me prenderam do início ao fim e que acredito que quem gosta deste género também vai gostar. 

Leitura com o apoio:

Sem comentários:

Publicar um comentário

Aqui podem deixar todos os comentários e prometo que responderei o mais rápido possível.

Comentários que não são construtivos não serão aceites.